COVID-19: Plataforma de vídeos do Cine Belas Artes de SP

•março, 28 2020 • Deixe um comentário

No site PETRA BELAS ARTES A LA CARTE, você pode fazer uma assinatura de R$ 9,90 mensais e escolher seu filme de preferência. É a plataforma de vídeos do Cine Belas Artes de SP.

Algumas sugestões, do músico, preparador vocal e regente Felipe Abreu (*):

ANOS 1920:
– Aurora (Murnau)
– Metropolis (Fritz Lang)
– O Gabinete do Dr Caligari (Robert Wiene)

ANOS 1930:
– Scarface (o original, Howard Hawks)
– A Regra do Jogo (Renoir)
– Alexander Nevsky (Eisenstein)

ANOS 1940:
– As Damas do Bois de Boulogne (Bresson)
– Ser ou Não Ser (Lubitsch)
– Uma Noite em Casablanca (Irmãos Marx)

ANOS 1950:
– Trono Manchado de Sangue (Kurosawa)
– As Diabólicas & Salário do Medo (Clouzot)
– Contos da Lua Vaga (Mizoguchi)
– Quando Voam as Cegonhas (Kalatozov)
– Era uma Vez em Tóquio (Ozu)

ANOS 1960:
– Andrei Rublev (Tarkovsky)
– O Anjo Exterminador (Buñuel)
– Rocco e Seus Irmãos (Visconti)
– Queimada! (Gillo Pontecorvo)
– Peeping Tom/A Tortura do Medo (Michael Powell)
– A Morte de Um Burocrata (Tomás Gutierrez Alea)
– Uma Mulher é uma Mulher (Godard)
– O Criado (Joseph Losey)
– Histórias Extraordinárias (Fellini, Malle, Vadim)

ANOS 1970:
– Solaris & Stalker (Tarkovsky)
– Morte em Veneza (Visconti)
– Dersu Uzala (Kurosawa)
– Face a Face (Bergman)
– Traffic (J. Tati)
– Hospital dos Malucos/Britannia Hospital (Lindsay Anderson)
– Idi Amin Dada (doc, Barbet Schroeder)

ANOS 1980:
– Vá e Veja (Klimov)
– Sid & Nancy (Alex Cox)
– Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios (Kusturica)
– Boys meets Girl & Mauvais Sang (Léos Carax)
– Possessão (Andrzej Zulawski)
– À Sombra do Vulcão (John Huston)
– O Fundo do Coração (Coppola)
– Bagdad Café (Percy Adlon)

ANOS 1990:
– Tio Vanya em NY (Louis Malle)
– Todas as Manhãs do Mundo (Alain Corneau)

ANOS 2000:
– Tanguy (Etienne Chatiliez)
– Império dos Sonhos (David Lynch)
– Longe do Paraíso (Todd Haynes)

ANOS 2010:
– Em Chamas (Lee Chang-Dong)
– A Fita Branca (Michael Haneke)
– As Maravilhas (Alice Rohrwacher)
– Santiago, Itália (Nanni Moretti)
– Safari (doc, Ulrich Seidl)
– Cinco Graças (Deniz Gamze Ergüven)
– Winter Sleep (Nuri Bilge Ceylan)

(*) Felipe acrescenta um DISCLAIMER: “não tenho nenhuma conexão com o app. Não me responsabilizo se alguém tiver problemas. Pessoalmente, não tive nenhuma dficuldade em assinar e assistir”.

Daniel Azulay (1947-2020)

•março, 27 2020 • Deixe um comentário

O Coronavirus COVID-19 leva parte da infância dos que têm mais de 40 anos e passaram suas tardes com seus desenhos na TV. Daniel Azulay faleceu em 27.03.2020, conforme notícia veicula no Facebook oficial do desenhista:

Matéria no G1 confirmou o falecimento:

Morreu nesta sexta-feira (27) no Rio de Janeiro o desenhista, pintor e cartunista Daniel Azulay. O artista plástico, de 72 anos, estava internado havia duas semanas no CTI da Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul carioca. Daniel lutava contra a leucemia e contraiu coronavírus.

Daniel ganhou notoriedade no Brasil inteiro nos anos 70 e 80 por participar de programas educativos para públicos infantis, como a Turma do Lambe Lambe, em canais como TV Cultura e Bandeirantes. Posteriormente continuou trabalhando em outros programas e projetos na internet.

Leia mais clicando aqui.

Daniel Azulay

Daniel Azulay nasceu no Rio de Janeiro em 30 de maio de 1947 e era artista plástico, educador com vasta e diversificada atuação na Imprensa e na TV como desenhista, compositor e autor de livros infanto-juvenis e videogames interativos, como lembra o Wikipedia:

Em 1968, criou a tira de jornal Capitão Cipó, publicada no jornal Correio da Manhã em 1975, lança a Turma do Lambe-Lambe, foi precursor em 1976 apresentando durante dez anos seguidos, programas de TV educativos e inteligentes para o público infantil.

Azulay influenciou de forma construtiva a geração dos anos 80 que aprendeu com ele a desenhar, construir brinquedos com a sucata doméstica, e a importância da reciclagem e sustentabilidade em defesa do meio ambiente.

Atualmente, viaja pelo mundo expondo, fazendo palestras e conduzindo workshops de arte, educação e responsabilidade social. Premiado no Brasil e no exterior, suas obras de arte contemporânea fazem parte do acervo de coleções particulares e de grandes empresas. Em 2009, ensinou desenho em vídeos para o site UOL, fez especiais pro Canal Futura e chegou a participar da TV Rá-Tim-Bum.

Em 2013, lançou o site Diboo (www.diboo.com.br), um curso de desenho online para crianças.

“Olá, amiguinhos
Alô, alô, turma de casa!
Daqui pra frente todo mundo vai cantar, cantar

Comigo e lembrar
Daqueles tempos de infância
E o desejo de ouvir novamente o realejo tocar

Era uma vez um garoto igual a vocês
Sabia das coisas do mundo nos desenhos que ele mesmo fez
Roda gigante pelo mundo pequeno outra vez (outra vez)
Roda gigante pelo mundo pequeno outra vez”

COVID-19: Filmes online do Coletivo Resistência

•março, 27 2020 • Deixe um comentário

O site do Coletivo Resistência tem uma relação de filmes de qualidade divididos por temas e com legenda embutida. Destaque a filmes postados recentemente (Bacurau, Coringa, Parasita). Podem ser assistidos no celular, pc ou notebook:

FILMES BRASILEIROS
(Bacurau, Documentários sobre a ditadura no Brasil, O som ao redor, Filmes sobre habitação-urbanização)
http://coletivoresistencia.com.br/filmesbrasileiros

COMPORTAMENTO
(Coringa 2019, Parasita, Roma, O apartamento, Relatos Selvagens, O Som ao redor)
http://coletivoresistencia.com.br/comportamento

HABITAÇÃO-URBANIZAÇÃO
(Era o Hotel Cambridge, Aquarius, Sinfonia da necrópole, Uma lugar ao centro, As mãos sobre a cidade, À margem do concreto)
http://coletivoresistencia.com.br/habitacao

FEMINISMO
(A Juiza, Lou andreas Salomé, As sufragistas, Thelma, Mulheres Divinas, Que horas ela volta, Monsieur e Madame Adelman, etc…)
http://coletivoresistencia.com.br/filmesfeminismo

LGBT
(Entre laços, 120 batimentos por minuto, Thelma, Hoje eu quero voltar sozinho, Minha vida cor de rosa, Mãe só há uma)
http://coletivoresistencia.com.br/lgbt

RACISMO-NAZISMO-FASCISMO
(A tabacaria, Os invisíveis, 1945, Memória dos Campos, Jantar com Beatriz, Eu não sou seu negro, Menino 23: Infâncias peridas no Brasil, Django, Sami Blood, Trumbo: a lista negra, O conformista, O ovo da serpente, O vento será tua herança, Frantz, Hanna Arendt, Relatos Selvagens, Os nomes do amor, Fascism Inc)
http://coletivoresistencia.com.br/racismofascismo

CAPITALISMO/SOCIALISMO
(O jovem Marx, Leões e Cordeiros, O Jardineiro fiel, A grande virada, Edukators, Inside Job, A grande aposta, O capital, As invasões bárbaras, O monstro de mil cabeças)
http://coletivoresistencia.com.br/capitalismo

GUERRA SEMIÓTICA/ENGENHARIA SOCIAL
(Privacidade Hackeada, A.I.Rising)
http://coletivoresistencia.com.br/guerrasemiotica

DITADURA CHILENA E URUGUAIA
(O botão de pérola, Nostalgia da luz, Uma noite de 12 anos)
http://coletivoresistencia.com.br/ditadurachilena

MÍDIA E COMUNICAÇÃO
(Obrigado por fumar, Mera coincidência, Terra prometida, A garota na névoa, O quarto poder, Marcado, Ex Machina: inteligência artificial, A honra perdida de Katharina Blum)
http://coletivoresistencia.com.br/midiacomunicacao

O MUNDO DO TRABALHO
(O capital, A classe operária vai ao paraíso, Segunda feira ao sol, Germinal, Biutiful, Mundo Grua, Eu daniel Blake, As sufragistas, Norma Rae, Pão e Rosas, Rosalie vai às compras, A greve, Ladrões de bicicleta, Umberto D, A partida, A Patagônia Rebelde)
http://coletivoresistencia.com.br/mundotrabalho

DITADURA NO BRASIL – DOCUMENTÁRIOS
(O dia que durou 21 anos, Que bom te ver viva, Ditadura e crianças, Operação Condor, Marighella)
http://coletivoresistencia.com.br/ditadurabrasil

COVID-19: Lançamentos adiados

•março, 27 2020 • Deixe um comentário

Matéria de Beatriz Amendola no UOL fala sobre as complicações inéditas que o aumento de casos do novo coronavírus trouxe para o cinema e a TV:

Blockbusters como “Mulher-Maravilha 1984”, “Viúva Negra” e “Mulan” tiveram suas estreias nos cinemas adiadas, e séries como “The Walking Dead” tiveram que encurtar suas temporadas. Aqui no Brasil, “Amor de Mãe” teve de ganhar um fim de temporada e ser substituída por “Fina Estampa”. É a primeira vez na história que o país fica sem exibir capítulos inéditos de uma novela das 21h, o horário nobre.

Isso não quer dizer, porém, que o setor audiovisual parou de vez. Há alguns trabalhos —como os de roteiro, por exemplo— que podem ser feitos virtualmente, sem a necessidade de aglomerar pessoas em uma sala, e que por isso têm seguido normalmente com o auxílio de aplicativos como Skype, Zoom ou Google Hangouts.

Leia mais clicando aqui.

Mark Blum (1950-2020)

•março, 26 2020 • Deixe um comentário

Mark Blum

De acordo com o Globo Online, o ator norte-americano Mark Blum faleceu em 26.03.2020:

Ele ficou conhecido por seus papéis em filmes como “Procura-se Susan Desesperadamente” (1985), “Crocodilo Dundee” (1986) e “Encontro às escuras” (1987). De acordo com a imprensa internacional, Blum, de 69 anos, morreu de complicações da Covid-19.

Seu agente confirmou a informação ao jornal “The Independent”. Recentemente, Blum estrelou a série da Netflix “You” como Sr. Mooney. O ator também fez uma longa carreira no teatro, trabalhando em diversas peças na Broadway.

A notícia foi encontrada aqui.

Stuart Gordon (1947-2020)

•março, 25 2020 • Deixe um comentário

Stuart Gordon

De acordo com o site JC, o cinema de horror perde mais um dos seus maiores ídolos um mês após a morte de José Mojica Marins. Faleceu na noite de 24.03.2020, o cineasta norte-americano Stuart Gordon, aos 72 anos:

A revista Variety confirmou a notícia depois da informação dada pela família do diretor. A causa da morte não foi divulgada.

Dono de uma assinatura autoral, Gordon é conhecido pelo gore, o uso dos efeitos especiais e adaptações de H. P. Lovecraft para o cinema.

Sua estreia na direção em 1985, A Hora dos Mortos Vivos (Re-Animator) é um dos marcos na produção cinematográfica da década.

Leia mais clicando aqui.

Marianne Ebert (1968-2020)

•março, 24 2020 • Deixe um comentário

Marianne Ebert

De acordo com o site Retratos da Vida, a atriz, coreógrafa, bailarina e cantora Marianne Ebert morreu em 24.03.2020, aos 51 anos, no Rio:

Ela lutava desde 2016 contra um câncer de mama. Na TV, ela participou de novelas como “Sonho meu” e “Barriga de aluguel”, na qual viveu a personagem Drica, contracenando com Daniella Perez.

Miguel Falabella, com quem a atriz trabalhou em musicais, anunciou a morte da amiga, prestando uma homenagem a sua “sereiazinha. Marianne estrelou a versão para os palcos, dirigida por ele, de “A pequena sereia”.

“Querida Marianne, você foi uma guerreira e a vida não lhe deu tréguas. Anos e anos de luta contra essa maldita doença que lhe transtornou a vida, a carreira e acabou lhe vitimando. Há entretanto um momento feliz e é sobre ele que eu jogo um foco de luz nesse momento de angústia: você vivendo a Sereiazinha, no palco do Teatro Clara Nunes. Nós vivíamos cheios de sonhos naquela época. Que você possa descansar em paz”.

Leia mais clicando aqui.

 
%d blogueiros gostam disto: