Depois a Louca Sou Eu: Novo filme de Julia Rezende

•outubro, 20 2019 • Deixe um comentário

Sessão Azul: Angry Birds 2 no Kinoplex Shopping Leblon em 19.10.2019

•outubro, 19 2019 • Deixe um comentário

Orlando Drummond: 100 anos em 18.10.2019

•outubro, 18 2019 • Deixe um comentário

Aldenora Santos, a Pudica (1934-2019)

•outubro, 18 2019 • Deixe um comentário

Aldenora Santos

Aldenora Santos foi rádio-atriz, atriz, dubladora, narradora e por muitos anos trabalhava no programa de Antônio Carlos, na Super Rádio Tupi, RJ. Trabalhou em outras diversas rádios, como Globo e Nacional. De acordo com o site da Isto É, Aldenora, a famosa Pudica do ‘Show do Antonio Carlos’, morreu na manhã de 18.10.2019:

Há seis meses ela lutava contra um câncer no pâncreas, mas para não preocupar os ouvintes, preferiu que a doença não fosse noticiada. Pudica completaria 85 anos no próximo domingo, 20.10.2019.

No Show do Antonio Carlos, Pudica – apelido dado pelo comunicador – trabalhou por 36 anos. Ao todo, ela tinha 70 anos de carreira.

O enterro de Aldenora está marcado para amanhã, às 16h, no cemitério São Francisco Xavier, no Rio. O velório acontecerá na capela D e será aberto ao público a partir das 9h.

A noticia foi encontrada aqui.

RJ: Festival Internacional de Cinema Infantil de 18 a 21.10.2019

•outubro, 18 2019 • Deixe um comentário

Fonte: jornal O Dia de 18.10.2019.

RJ: Vídeo e debate sobre a Greve dos Bancários de 1985

•outubro, 17 2019 • Deixe um comentário

Alicia Alonso (1920-2019)

•outubro, 17 2019 • Deixe um comentário

Alicia Alonso

A bailarina e coreógrafa cubana Alicia Alonso morreu em 17.10.2019 aos 98 anos em Havana, Cuba. A notícia foi confirmada pelo Ballet Nacional Cubano, companhia que ela mesma fundou e dirigiu. No site do Correio Braziliense:

O motivo da morte ainda não foi divulgado, sabe-se apenas que o óbito foi registrado às 11h no horário local (13h no horário de Brasília).

No Wikipedia:

Alicia Alonso, nome artístico de Alicia Ernestina de la Caridad del Cobre Martínez del Hoyo, (Havana, 21 de dezembro de 1920) foi uma bailarina e coreógrafa cubana. É considerada uma das principais artistas do século 20. Atualmente, com sérios problemas de visão e locomoção, Alicia continua na direção geral do Ballet Nacional de Cuba acompanhando o grupo em turnês em todo o mundo.

Iniciou os seus estudos de balé com 11 anos na Escola de Ballet da Sociedade Pró-Arte Musical em Havana com Nikolai Yavorsky, posteriormente estudou nos Estados Unidos, onde se formou na School of American Ballet de Nova York. Aos 15 anos de idade, casou-se com o bailarino Fernando Alonso e passou a chamar-se Alicia Alonso. Juntos criaram o Ballet Nacional de Cuba, assim que retornaram dos Estados Unidos para Havana. Incorporaram à companhia obras como Giselle, Coppélia e La sylphide.

Aos 19 anos, devido a uma doença, perdeu parcialmente a visibilidade de um olho. Seus parceiros tinham sempre que estar no exato lugar onde ela esperava que estivessem e usava diferentes luzes no palco para guiá-la.

Dançou duas vezes na Rússia e produziu o balé Giselle para Ópera Nacional de Paris, sendo ela própria a primeira bailarina. Depois do triunfo da Revolução Cubana, em 1959, Alonso retornou a seu país e tornou-se bailarina e diretora do Balé Nacional de Cuba, posição que tem até hoje.

Foi laureada com a Medalha Picasso pela UNESCO. Desde 2002 passou a ser Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO na promoção de ballet (Programa de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade).

 
%d blogueiros gostam disto: