[Resenhas] A Saga Crepúsculo – Amanhecer: Parte 2

O último filme da saga Crepúsculo, “Amanhecer: Parte 2“, começa em clima de romance e tem tudo para ser um fechamento apenas morno para uma saga que movimentou milhões de fãs (e dólares) pelo mundo inteiro. A primeira meia hora de filme parece que vai ficar apenas no triângulo amoroso entre Bella, Edward e Jacob, agora com a pequena Renesmee como ponto comum indubitável entre eles.

Mas, logo no início, a pequena Renesmee, coitada, acaba protagonizando a cena mais estranha deste último episódio. Nem os fãs mais ardorosos conseguem esconder o espanto quando o bebê com feições montadas através de computação gráfica aparece em cena: se a ideia de Bill Condon, diretor deste episódio, era tornar realista o crescimento acelerado da menina, errou feio, pois criou um efeito falso, quase cômico. Parece uma produção caseira.

O filme melhora quando começa a “busca pelas testemunhas”. O elenco cresce e novos personagens aparecem, alguns bastante interessantes (destaque absoluto para o Benjamin interpretado por Rami Malek e para o Alistair de Joe Anderson), outros bizarros (Tracey Heggins como Senna e Judith Shekoni como Zafrina, “o que são” Senna e Zafrina, meu Deus ?). Vários nações retratadas entre estes amigos vampiros certamente reclamarão dos clichês utilizados, e os brasileiros (nosso país já foi pano de fundo anteriormente na saga) ficam constrangidos quando Senna e Zafrina aparecem.

Dois grandes elementos salvam o filme do fracasso. Para evitar spoilers, citarei apenas como “a batalha na neve” o ápice de Amanhecer 2, que surpreende o espectador que não leu o livro, e mesmo os leitores da saga literária vibrarão: a reação geral na sala escura foi de euforia na resolução da sequência. O outro grande trunfo é Michael Sheen, absoluto na pele de Aro: o filme é dele, e sem ele nada teria graça, tudo o mais pareceria mais caricato ou inconsistente.

Quanto aos protagonistas, nada de novo no front: Kristen Stewart não compromete como Bella agora mãe de família, o Edward de Robert Pattinson parece um pouco mais abobalhado com a paternidade e Taylor Lautner não tem grandes momentos para atuar e somente um para tirar a camisa (ou melhor, a roupa toda, para o longo suspiro apaixonado das fãs).

De resto, compre sua pipoca e boa diversão: os fãs ardorosos vão adorar, os que simpatizaram com a trama (como eu) vão gostar bastante apesar dos momentos constrangedores, os cinéfilos mais ferrenhos vão torcer o nariz (mas terão que ver, para poder criticar) e o mundo terá que se curvar ao sucesso estrondoso desta saga que, até o quarto filme, já tinha arrecadado mais de 2 bilhões e 400 milhões de dólares por todo o mundo, número que agora, sem dúvida, deve ultrapassar os 3 bilhões rapidamente.

Tommy Beresford

Todas as resenhas do Cinema é Magia para a saga:
Crepúsculo
Lua Nova
Eclipse
Amanhecer: Parte 1
Amanhecer: Parte 2

~ por Tommy Beresford em novembro, 21 2012.

8 Respostas to “[Resenhas] A Saga Crepúsculo – Amanhecer: Parte 2”

  1. Adoolu…

  2. eu gostei mas só das criticas que não

  3. ESTE FILME E DA ORA

  4. essse filme é o melhor do mundo

  5. adorei esse filme

  6. Adorei o filme nao quero que acabe mais nao perco nem um filme

  7. Adorei, muito convincente…

  8. e mto bom so q esse texto poderia ser um pouco menor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: