[Resenhas] O Conselheiro do Crime

conselheiro

Não entendo bem o título brasileiro para o mais novo filme de Ridley Scott, “O Conselheiro do Crime”. Por que não “O Advogado” se até nas legendas do filme a palavra “counselor” é traduzida como “doutor” ? Até porque, se a alcunha se refere de fato ao personagem de Michael Fassbender, ele mais recebe conselhos do que oferece. Enfim… quem sabe um título como “Onde Os Fracos Não Têm Vez” (aliás, também roteiro de Cormac McCarthy)… epa, esse não, embora fosse até adequado…

Seja como for, é um filme interessante, que tenta de alguma forma “humanizar” a entrada de um “servidor das leis” no mundo do tráfico internacional de drogas. A cena inicial, de certa forma ousada para o público americano, e as primeiras aparições da personagem de de Cameron Diaz anunciam um grande filme, que não se concretiza. A produção se mostra um pouco cansativa para o público em geral por conta de seus enormes diálogos e da levada lenta, mas o roteiro é bom, ainda que faltem algumas explicações aqui e ali e uma trilha sonora mais marcante.

O elenco, porém, é impecável, desde Penelope Cruz e Brad Pitt, em papéis coadjuvantes (e menos interessantes), até a grandiloquência excêntrica de Javier Bardem, passando pelo competente e já citado Michael Fassbender, um protagonista sem muito carisma. Duas sequências em especial se destacam: a ótima cena da avaliação de diamantes entre Bruno Ganz e Fassbender, e o momento “Cameron Diaz em cima do carro”, uma cena que acaba sendo mais divertida do que sexy (e que não faz qualquer sentido dentro da trama) mas que faz o público acordar um pouco… A atuação de Cameron Diaz, por sinal, em papel acima da média de sua carreira, foi uma das poucas unanimidades da crítica, que se dividiu bastante na avaliação do filme entre o “excelente” e o “bem fraco”.

Não há muito mais a dizer: não chega a entrar no rol dos melhores filmes de Sir Ridley Scott, que conta com filmes como “Alien, O Oitavo Passageiro” e “Blade Runner – O Caçador de Andróides”, mas não compromete a carreira do diretor.

Tommy Beresford

O-CONSELHEIRO-DO-CRIME02

~ por Tommy Beresford em outubro, 28 2013.

2 Respostas to “[Resenhas] O Conselheiro do Crime”

  1. […] Resenha retirada de: Cinemagia […]

  2. Ok, amigo Tommy, não compromete Sir Ridley Scott, mas eu fiquei com “vergonha alheia”, viu?
    Pô! QUATRO estrelas de primeira grandeza – nem conheço direito o protagonista para incluí-lo aqui – e um roteirinho que não chega aos pés de um “Alien”? Um filme sobre o mundo das drogas, com direito a dilema moral (do tal protagonista, que parece que nem o percebe!), e eu quase durmo?
    Só valeu mesmo pra ver meu querido Javier Barden divertido, com um cabelo de “arrepiar” (ainda mais! Kkkk…) – pois em atuação o personagem não dava nem para o início…
    E também por perceber a beleza e a grandeza de Cameron Diaz, que deixou de ser “menininha de Hollywood” há algum tempo. Pena achar que vão colocá-la de lado porque já está “passada”… 😦

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: