[Resenhas] À Deriva

a_derivaPelo menos três fatores simples e diretos dão excelência ao longa “À Deriva”:

– O capricho na produção. Se o roteiro (do também diretor Heitor Dhalia) não chega a trazer nada de muito inédito ou surpreendente, a boa direção — aliada a uma bela fotografia de Ricardo Della Rosa — evita que o filme caia no marasmo da lentidão ou a sensação de se tratar de um mero “filme com conflitos adolecentes em meio a dramas adultos emoldurados por belas cenas de sol e mar”. O filme é bem mais que isso, e em tudo ajudam os figurinos (de Alexandre Herchcovitch) e a direção de arte que, aliás, constroem um ambiente não-datado, gostei bastante.

– Laura Neiva. A pouca experiência parece não causar qualquer desconforto à atriz e com isso permite que o resultado de sua Felipa seja mais que satisfatório. Certamente sob as instruções precisas de Dhalia, Laura consegue misturar ingenuidade, descobertas e o amor pelos pais em doses homogêneas, sem grandes excessos. Ótima surpresa.

– Quem tem Débora Bloch tem tudo. A atriz está simplesmente brilhante num papel tão difícil quanto arrebatador — para ela e para o público. Sempre observei seu talento, mas Débora (adotei a grafia do site oficial do filme, eu achava que era Deborah) dá show em “À Deriva”, o filme já valeria apenas por sua volta triunfal ao cinema.

Destaque também para Vincent Cassel e Camille Belle (ele mais que ela) dando conta do recado sem tropeçar no português. Se não chega a ser um filme maravilhoso, vale a conferida: num ano até agora com poucos filmes nacionais que conquistaram o público.

Tommy Beresford

Site oficial:
http://www.aderivafilme.com.br/

A_DERIva_cena2

A_Deriva_CENA

~ por Tommy Beresford em agosto, 05 2009.

4 Respostas to “[Resenhas] À Deriva”

  1. Olá Tommy! Ainda não vi o filme, mas pretendo. E também gosto muito de Débora Bloch, mas confesso que tenho um certo problema. Toda vez que olho pra ela me lembro de sua passagem pelo Tv Pirata (não sei se é da sua época este programa humorístico). Abs!

  2. […] | cinereporter | Ka-kaos | Cinematório | Rogério Faria | Club Cinefilo | Repertório Cultural | Cinema é Magia | A Cinéfila | Filmes do Chico | cinema o rama | Cinéfilo, eu? | CinemaScópio | Julia Petit | […]

  3. […] Beresford CINEMA É MAGIA “Certamente sob as instruções precisas de Dhalia, Laura Neiva consegue misturar […]

  4. Concordo em muitos pontos com sua resenha, caro Tommy. Bela Fotografia, figurinos, direção de arte que não deixou o filme parecer datado e, uma bela música. Debora Bloch realmente arrasa e Laura Neiva fez muito bem o papel. Só discordo do andamento, que nos primeiros 30 a 40 minutos é bem lento. Depois melhora, mas continua um clima meio morno, apesar de o roteiro ter sua “interessância”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: