[Resenhas] Piaf – Um Hino ao Amor

Piaf - Um Hino ao Amor, cartazTenho (ou deveria ter) uma relação de afeto com o cinema do Museu da República, no Catete. Posso estar enganado, mas acho apenas duas vezes lá estive para assistir a algum filme, e ambas foram experiências em que chorei muito. A primeira, sem dúvida, um de meus filmes favoritos, “As Pontes de Madison”, com o extraordinário desempenho de Meryl Streep, um filme admirável.

A segunda foi hoje, para assistir um filme que quase deixei passar – e jamais me perdoaria por isso.

Piaf – Um Hino ao Amor foi o último filme que assisti esse ano, mas conseguiu um feito difícil: entrou para minha lista de trinta e poucos filmes favoritos.

Talvez eu já tenha dito isso – talvez até pela supracitada Meryl Streep naquele ou em outro filme dela qualquer – mas se disse, direi de novo, e com mais ênfase: hoje tive o privilégio de assistir à maior interpretação feminina da minha jornada cinematográfica de tantos anos. E – ironia do destino – não veio de Hollywood, mas de um belo filme falado em francês…

Marion Cotillard.

Extraordinária.

Talvez eu nunca mais assista a um filme com Marion Cotillard. Talvez Edith Piaf não tenha sido como ela a construiu. Mas jamais esquecerei a Edith Piaf de Marion Cotillard.

Chorei baldes. Foi bom ter ido ao cinema tem saber nada da vida de Piaf. Foi bom ter enfrentado o calor de uma tarde carioca “daquelas”. Entre tantas opções, foi bom ter escolhido justamente um filme que tem resistido em cartaz pelo boca-a-boca que alimenta as esperanças dos cinéfilos.

Não perca. Não perca.

…..

Em tempo: Marion Cotillard é uma das cotadas para o Globo de Ouro e, certamente, para o Oscar. Já levou esse ano o Boston Society of Film Critics Awards, o Cabourg Romantic Film Festival, o Hollywood Film Festival (atriz do ano), o Los Angeles Film Critics Association Awards, o NRJ Ciné Awards, o Palm Springs International Film Festival, o Satellite Awards e o Seattle International Film Festival. No Globo de Ouro, onde concorre por Musical/Comédia, sua principal concorrente, até agora, é a também super premiada Ellen Page (por “Juno”). Mais premiada que as duas somente Julie Christie, que concorre em Drama por “Longe Dela”: as três são boas apostas para o Oscar.

Piaf - Um Hino ao Amor, cena

~ por Tommy Beresford em dezembro, 30 2007.

2 Respostas to “[Resenhas] Piaf – Um Hino ao Amor”

  1. Piaf foi o melhor filme que assisti desde seu lançamento e olha que sou traça de filmes.

  2. Magnífico. è de arrebentar o coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: