[Resenhas] Speed Racer

Talvez Speed Racer não seja “um ótimo episódio daquele tradicional e delicioso desenho daquela infância que não volta mais”, nem mesmo uma obra-prima. Talvez o filme de Andy e Larry Wachowski até não tenha um Rex Racer de estatura correta – já li isso, acreditem, como já li até que certas imagens correm o risco de causar crise epilética… Talvez o macaco tenha mordido o ator mirim durante as filmagens….

Parte da crítica e muitos puristas são chatos demais. Ainda bem que tudo que escrevem eu só leio depois de voltar do cinema. Ao invés de guardarem suas inesquecíveis reminiscências nos cantos mais bonitos da memória e do coração, muitos viraram quarentões rabugentos e cheios de melindres, do tipo “não (me) toquem no que até parece que era só meu”…

Esqueçam tudo isso e divirtam-se com a caprichada versão cinematográfica. Caprichada mesmo. São excelentes as cenas das corridas. Li que eram mornas ! São tão eletrizantes que trazem um contraponto curioso: as cenas que não são de corrida parecem lentas e sem ritmo. A computação gráfica e o colorido em tons intensos são impressionanes. Em vários momentos, a trilha sonora valoriza e humaniza as cenas: excelente, mesmo quando soa óbvia – mas nem toda trilha precisa ser surpreedente para ser boa.

O grande problema do filme, portanto, é a expectativa dos fãs, sempre exageradamente enorme. O filme não quis, em momento nenhum, fugir do original nem deixar os não-iniciados ‘boiando’ – e por isso gasta muito tempo explicando “a origem do universo” – e eu acho que a escolha é acertada. Ao mesmo tempo, as crianças muito pequenas – vi o filme dublado num cinema repleto de pequeninos – acabam não sendo ‘conquistadas’ pela história. O roteiro não tem nada de mais, nem nada de menos: não surpreende, nem decepciona.

Conclusão: mais um bom entretenimento da temporada, com direito a diversas ótimas cenas, entre elas a da corrida no deserto e, claro, Susan Sarandon, o maior expoente de um ótimo elenco (com destaque para Gorducho e Zequinha). O momento em que a mãe conversa com Speed (chorei, pra variar) é mais uma prova de que Susan Sarandon brilha, e sempre.

~ por Tommy Beresford em maio, 12 2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: