Longe da Árvore: Sessões gratuitas de 19 a 22.09.2019

“Longe da Árvore” estreia no Brasil e, de 19 a 22 de setembro de 2019, as sessões deste documentário nos cinemas abaixo são gratuitas:

É preciso retirar o ingresso na bilheteria. O filme tem um vasto cardápio de acessibilidade, com audiodescrição, legendas descritivas e comunicação em libras.

Para conferir os horários acesse:

bitly.com/believefilms

Locais:
– São Paulo (Espaço Itaú de Cinema – Augusta e Frei Caneca)
– Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema – Botafogo)
– Porto Alegre (Espaço Itaú de Cinema – Bourbon Country

Itunes: Em pré-venda na plataforma online com legenda em português.

Por Miguel Barbieri Jr, no site da Veja-SP:

O escritor, professor e ativista dos direitos LGBT Andrew Solomon é autor do bem-sucedido livro Longe da Árvore, transformado no documentário homônimo. Os pais de Solomon não o aceitavam como homossexual e, durante dez anos, ele buscou mais de 300 famílias que também precisaram lidar com seus filhos “diferentes” para escrever o best-seller. O filme, além do depoimento de Solomon, mostra apenas alguns casos. Embora seja infeliz comparar homossexualidade com autismo, os exemplos seguem o rumo da superação e chegam a emocionar. Um dos melhores é da moça de 23 anos que, anã, encontra pessoas de seu tamanho apenas numa convenção para gente pequena.

No site da revista Crescer:

Com dezenas de prêmios no currículo, o autor nova-iorquino Andrew Solomon foi diagnosticado com dislexia na infância. Na época, o pequeno Andrew contou com toda a atenção e dedicação de sua abastada família para tratar o transtorno. Mas tudo mudou durante a adolescência, quando o escritor assumiu sua homossexualidade. “Minha mãe imaginava que seu primeiro filho seria parte do grupo dominante, uma criança popular na escola, atlética, sem conflitos com o mundo e basicamente convencional”, diz. “E, ao contrário, ela teve a mim”.

Para entender os conflitos entre as expectativas de pais e filhos, o autor mergulhou por uma década no universo da diversidade, chegando a entrevistar mais de 300 famílias com filhos marcados pela excepcionalidade. Surdos, anões, portadores de síndrome de Down, autistas, esquizofrênicos, portadores de deficiências múltiplas, crianças prodígios, filhos concebidos por estupro, transgêneros e menores infratores. Sua extensa pesquisa sobre as mais diversas famílias deu origem ao livro Longe da árvore: pais, filhos e a busca da identidade, publicado em 24 idiomas e premiado mais de 50 vezes, nacional e internacionalmente.

Leia mais clicando aqui.

~ por Tommy Beresford em setembro, 18 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: