João Carlos Marinho (1935-2019)

João Carlos Marinho

João Carlos Marinho

“O Gênio do Crime”, um livro referência de adolescentes especialmente nos anos 70, 80 e 90 e que completa 50 anos em 2019, perdeu seu autor. O escritor João Carlos Marinho, autor do clássico juvenil, morreu em 17.03.2019 aos 83 anos, em São Paulo. No Globo Online:

O autor estava internado desde fevereiro no Hospital Sancta Maggiore da Mooca, na Zona Leste.

A obra que projetou o nome de Marinho foi publicada em 1969, quando ele ainda advogava. A estimativa do autor é que o total de vendas esteja em torno de 1,2 milhão de exemplares — o título continua sendo adotado por escolas de todo o Brasil. Já foi publicada em espanhol (“El génio del crímen”) em 2006, e, em 1972, chegou a ser adaptada para o cinema com o título de “O detetive Bolacha contra o gênio do crime”, dirigido por Tito Teijido.

O livro foi o primeiro da série de aventuras que o autor criou para a turma do Gordo. Nele, o personagem principal e seu grupo ajudam o dono de uma fábrica de figurinhas de futebol a descobrir um criminoso que falsificava os cromos mais raros.

Após 50 anos e 76 edições, “O gênio do crime” ainda é um dos quatro livros mais vendidos da editora Global (originalmente, ele saiu pela Brasiliense e já passou por outras casas).

Nascido no Rio de Janeiro em 25 de setembro de 1935, João Carlos Marinho mudou-se ainda criança para Santos e, depois São Paulo. Formou-se em Direito na Faculdade do Largo de São Francisco, da Universidade de São Paulo (USP).

Referência para escritores da geração pós-Monteiro Lobato, como Ruth Rocha e Ana Maria Machado, Marinho é autor também dos livros “O caneco de prata”, “Sangue fresco”, “Berenice detetive”, entre outros.

Em nota oficial a editora Global informou que o velório ocorrerá a partir das 10h desta segunda no Cemitério do Araçá. O enterro será às 16h no Cemitério da Consolação.

A notícia foi encontrada aqui.

“O Gênio do Crime”, de 1969, foi um dos títulos da inesquecível “Coleção Elefante” das Edições de Ouro (depois Ediouro) que foi lida por 10 entre 10 adolescentes em idade escolar nos anos 70 e 80. Também foi publicado em espanhol com o título “El Génio del Crímen” e foi adaptado para o cinema em 1973 pelo diretor Tito Teijido, com o título “Detetive Bolacha contra o Gênio do Crime”.

Outros livros do autor:

– O Caneco de Prata, 1971
– Sangue Fresco, 1982
– O Livro de Berenice, 1984
– Berenice Detetive, 1987
– Berenice Contra o Maníaco Janeloso, 1990
– Cascata de Cuspe – Game Over para o Gordo, 1992
– O Conde Futreson, 1994
– O Disco I – A Viagem, 1996
– O Disco II – A Catástrofe do Planeta Ebulidor, 1998
– O Gordo Contra os Pedófilos, 2001
– Assassinato na Literatura Infantil, 2005
– O Fantasma da Alameda Santos, 2015

“Sangue Fresco” foi Prêmio Jabuti de Literatura Juvenil e Grande Prêmio da Crítica da APCA em 1982. “Berenice Detetive” recebeu o Prêmio Melhor Mercedez-Benz de Literatura Infanto-Juvenil em 1988.

~ por Tommy Beresford em março, 18 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: