Marielle Franco (1979-2018)

Marielle Franco

Marielle Franco

Em memória da vereadora Marielle Franco, brutalmente assassinada na noite de 14.03.2018 no Rio de Janeiro, o Cinema é Magia relembra uma sessão especial da Câmara dos Vereadores presidida na ocasião por Marielle [01.07.2017]. A sessão foi aberta com a apresentação do teaser do filme em produção “Voz, Cor e Luta”, do coletivo Feminicidades:

Aplaudida de pé durante dois minutos, por cerca de 400 pessoas, a atriz Ruth de Souza foi às lágrimas na abertura da sessão que homenageou a escritora Conceição Evaristo, na Câmara Municipal do Rio de Janeiro na noite da última terça-feira, 1/7.

Conceição Evaristo, doutora em Literatura Comparada pela UFF, recebeu a maior honraria da Casa legislativa, a Medalha Pedro Ernesto, fruto de requerimento apresentado pela vereadora Marielle Franco (PSOL), aprovado por unanimidade no início de junho.

Bastante idosa, a primeira atriz negra do teatro, do cinema e da televisão brasileira, dividiu a bancada de homenagens com outras importantes mulheres negras: Flávia Oliveira, jornalista e economista (O Globo), Jurema Werneck, diretora da Anistia Internacional no Brasil, Mãe Meninazinha de Oxum, Iyalorixá, Patrícia Oliveira, membro do Mecanismo de Combate à Tortura do Rio, e a vereadora Marielle Franco (PSOL), que presidiu a sessão. Após a saída de Ruth de Souza, a vereadora de Niterói Talíria Petrone passou a ocupar sua cadeira.

Sob o lema “Eu Mulher Negra Resisto”, Conceição Evaristo foi reverenciada por sua contribuição literária às artes e, sobretudo, por sua trajetória – uma intelectual que nasceu na pobreza e hoje contribui para a autoestima e para que as mulheres negras se apropriem de sua identidade, trajetória e história, tendo os lugares de memória e as experiências de afeto como elementos importantíssimos em suas narrativas.

As quase 400 pessoas presentes à solenidade eram, em maioria absoluta, mulheres negras. Seus múltiplos tons de pele, turbantes coloridos e lindos penteados imprimiram o contraste estético à Casa que, historicamente, é ocupada por homens brancos.

Também foi a primeira vez que a Câmara contou com o serviço de tradução de libras em uma sessão, que foi executado por uma mulher trans negra, Alessandra Makkeda que, com a palavra, ressaltou que estar ali significava seguir o exemplo de Conceição, que é a “escrita de si”.

A sessão foi aberta com a apresentação do teaser do filme em produção “Voz, Cor e Luta”, do coletivo Feminicidades. Várias mulheres da plateia, representantes de movimentos e coletivos, também foram ao púlpito para prestar homenagens à Conceição, como Clatia Vieira (Fórum de Mulheres Negras), Zica de Oliveira (Criola), Lázia dos Santos (Afoxé Filhos de Gandhi), Cassia Marinho (Iporinchè) e Vilma Piedade (Mulher Preta de Axé e Partida).

No site oficial de Marielle:
O dia que a Câmara do Rio enegreceu

Assista ao vídeo da cerimônia completa no link acima.

Eleita com 46,5 mil votos, a quinta maior votação para vereadora nas eleições de 2016, Marielle Franco estava no primeiro mandato como parlamentar. Oriunda da favela da Maré, zona norte do Rio, Marielle tinha 38 anos, era socióloga, com mestrado em Administração Pública e militava no tema de direitos humanos.

Leia também:
Marielle Franco, vereadora do Psol, é assassinada no Centro do Rio

~ por Tommy Beresford em março, 15 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: