Bel Garcia (1967-2015)

Bel Garcia

Bel Garcia

A coluna de Artur Xexeo em O Globo de 29.11.2015 (“Um Oscar Para Johnny Depp?”) fala sobre a atriz Bel Garcia, falecida em 25.11.2015:

Bel Garcia era das melhores artistas em atividade no teatro carioca. Da Cia dos Atores, grupo que há quase 30 anos torna mais relevante o teatro do Rio, não há um espetáculo em que tenha se envolvido, como atriz ou diretora, que não tenha sido bem-sucedido. Da mesma turma de Enrique Diaz, Marcelo Valle, Gustavo Gasparani, Susana Ribeiro e Drica Moraes, Bel não fez televisão e quase não fez cinema. Talvez por isso, não tenha alcançado a popularidade ou o sucesso que seu talento merecia. Identificada com a pesquisa de linguagem ou com textos de menos apelo ao grande público, fez sempre o trabalho em que acreditava, sem concessões. Mas houve uma vez, uma única na qual se rendeu a um espetáculo feito para multidões. Foi na mais recente montagem de “Um estranho casal”, de Neil Simon, com direção de Celso Nunes. Com adaptação de Gilberto Braga, a peça era protagonizada por Carmo Della Vechia e Edson Fieschi. Bel tinha uma única cena. Quase uma participação especial. Mas Simon escreveu a tal cena para a atriz brilhar. Ela fazia uma das duas vizinhas — a outra era a colega de companhia Susana Ribeiro — do casal estranho do título. Entrava no palco para fazer o público rir. A plateia vinha abaixo. Ali ela deu uma pequena mostra de como poderia ter sido popular. Bel era capaz de fazer qualquer coisa, até mesmo a mais tradicional das comédias da Broadway. Vai fazer falta.

Leia a coluna completa clicando aqui. A atriz e diretora teatral Bel Garcia morreu aos 48 anos, vítima de câncer no cérebro. Ela estava internada no Hospital Copa D’Or, segundo o Globo Online:

Como diretora, a carioca comandou recentemente dois trabalhos aclamados: “Beije minha lápide”, com Marco Nanini, e “Conselho de classe”, pelo qual, ao lado de Susana Ribeiro, venceu o prêmio Cesgranrio de melhor direção.

Bel se formou em Artes Cênicas pela Uni-Rio e, desde 1989, integrava o grupo Cia. dos Atores, com o qual montou vários sucessos, incluindo adaptações de Shakespeare e Oswald de Andrade. Em 1998, dividiu com Enrique Diaz e César Augusto a direção artística do Espaço Cultural Sergio Porto. Também trabalhou com a Cia. de Teatro Medieval e a Cia. L’Acte. Mauro Mendonça Filho a dirigiu na peça “Deus”, escrita por Woody Allen.

Leia mais clicando aqui.

~ por Tommy Beresford em novembro, 29 2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: