José Wilker (1946-2014)

José Wilker

José Wilker

Tristeza enorme na manhã deste sábado, 05.04.2014. O grande ator, diretor e crítico de cinema José Wilker morreu em 05.04.2014 no Rio de Janeiro, de infarto, aos 67 anos [*]. O grande amante do cinema e ator de dezenas de filmes e novelas se foi:

A última participação do ator em novelas foi em 2013, em “Amor à Vida”, de Walcyr Carrasco, na qual interpretou o médico Herbert. Em 2012, ele foi o coronel Jesuíno no remake de “Gabriela”, baseado no livro “Gabriela Cravo e Canela”, de Jorge Amado. Em 2008, na novela Duas Caras, o ator fez o papel do professor Fernando Macieira.

José Wilker de Almeida nasceu em Juazeiro do Norte no dia 20 de agosto de 1946 e se mudou com a família, ainda criança, para o Recife. A mãe, Raimunda, era dona de casa e o pai, Severino, caixeiro viajante.

Sua carreira no teatro começou no Movimento Popular de Cultura (MPC) do Partido Comunista, onde ele dirigiu espetáculos pelo sertão e realizou documentários sobre cultura popular.

Em 1967, Wilker se mudou para o Rio para estudar Sociologia na PUC, mas abandonou o curso para se dedicar exclusivamente ao teatro.

José Wilker

José Wilker

Em 1970, após ganhar o prêmio Molière de Melhor Ator pela peça “O Arquiteto e o Imperador da Assíria”, foi convidado pelo escritor Dias Gomes o para o elenco de “Bandeira 2” (1971), sua primeira novela.

Wilker interpretou o primeiro protagonista em 1975: foi Mundinho Falcão em “Gabriela”, adaptação de Walter George Durst do romance de Jorge Amado, um marco na história da teledramaturgia brasileira.

José Wilker em Roque Santeiro

José Wilker em Roque Santeiro

Wilker tem em seu currículo personagens memoráveis, como o jovem Rodrigo, protagonista da novela “Anjo Mau” (1976), de Cassiano Gabus Mendes. Em 1985, viveu Roque Santeiro, personagem central da trama homônima escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Em 2004 interpretou o ex-bicheiro Giovanni Improtta, de “Senhora do Destino”, de Aguinaldo Silva, um personagem com diversos bordões como “felomenal” e “o tempo ruge e a Sapucaí é grande”.

José Wilker e Sonia Braga num dos maiores sucessos do cinema brasileiro, Dona Flor e Seus Dois Maridos

José Wilker e Sonia Braga num dos maiores sucessos do cinema brasileiro, Dona Flor e Seus Dois Maridos

O artista dirigiu o humorístico “Sai de Baixo” (1996) e as novelas “Louco Amor” (1983), de Gilberto Braga, e “Transas e Caretas” (1984), de Lauro César Muniz. Durante uma rápida passagem pela extinta TV Manchete, acumulou direção e atuação em duas novelas: “Carmem” (1987), de Gloria Perez, e “Corpo Santo” (1987), de José Louzeiro.

José Wilker na capa da revista Amiga

José Wilker na capa da revista Amiga

Apaixonado pelo cinema, o ator participou de filmes como “Xica da Silva” (1976) e “Bye Bye, Brasil” (1979), ambos de Cacá Diegues, e foi o personagem Antônio Conselheiro em “Guerra de Canudos” (1997), de Sérgio Rezende.

Leia mais clicando aqui.

Imagens inesquecíveis:

Leia também:
José Wilker revive Giovanni Improtta
José Wilker foi um dos atores mais importantes da TV, diz Wolf Maia
Ironia, humor, inteligência: Antonio Calloni lembra do colega José Wilker

Wilker como Giovanni Improtta

Wilker como Giovanni Improtta

Ficha do ator no IMDB:
http://www.imdb.com/name/nm0929093/

José Wilker

José Wilker

José Wilker já foi casado três vezes com as atrizes Renée de Vielmond, Mônica Torres e Guilhermina Guinle. O ator deixa as filhas Isabel, Mariana e Madá Wilker.

Do crítico musical Mauro Ferreira, via Facebook:

Ainda em choque com a notícia da morte de José Wilker, rendo minha homenagem a este ator com a imagem de uma cena de seu último bom personagem nas novelas, o coronel Jesuíno do ‘remake’ de ‘Gabriela’. O rosto transtornado do ator nas cenas em que seu abominável Jesuíno mata a mulher Sinhazinha para ‘limpar sua honra’ rondou minha mente por dias. Nunca me esqueço da interpretação excepcional – que julgo injustiçada pelos críticos de teatro – de Wilker na primeira montagem brasileira de “A cabra”, texto de Edward Albee. Foi-se para outra dimensão um grande ator que, quando lhe davam um bom papel, sempre brilhava. Espíritos amigos se preparem, pois hoje o imortal José Wilker vai lhes usar…

Em 1986, no Show de Calouros de Silvio Santos:

saudade eu vou lhe usar jose wilker morreu

__felomenal wiker

[*] Uma dúvida: por que tamanha incoerência nas informações sobre a idade e a data de nascimento do ator ?

JWILKER

~ por Tommy Beresford em abril, 05 2014.

Uma resposta to “José Wilker (1946-2014)”

  1. Saudade mesmo… é o que fica.
    ❤ 😥

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: