RJ: Recine 2013

A 12° edição do Recine 2013 – Festival Internacional de Cinema de Arquivo será realizada no Rio de Janeiro, de 25 a 29 de novembro de 2013. O tema deste ano é a cidade do Rio de Janeiro e serão exibidos filmes de ficção e documentários que a tenham como cenário ou protagonista, além de mesas de debate e oficinas.

O Recine tem entrada franca e conta com o patrocínio dos Correios e BNDE, e acontece de 25 a 29 de novembro de 2013 no Arquivo Nacional (Praça da República, 173, Centro, Rio de Janeiro):

SEGUNDA-FEIRA, DIA 25 DE NOVEMBRO

AUDITÓRIO

19h – SESSÃO DE ABERTURA

Cinema doméstico
1931/ 2013 – 10’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
De Arquivo Nacional
Utilizando material produzido em 1931 por um cinegrafista amador, doado anos mais tarde à TV Brasil, o filme apresenta aspectos do Méier, tradicional bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, destacando o valor dos registros caseiros para o resgate dos costumes de uma época.

Um Rio que passou
2002 – 22’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Clovis Molinari Jr.
Composição de imagens do Rio de Janeiro dos acervos da Agência Nacional, TV Tupi, César Nunes e Ipês, depositados no Arquivo Nacional. Na trilha sonora, Jeff Beck, Marlene, Dick Farney e jingles da Rádio Mayrink Veiga.

Moreira da Silva
1973 – 10’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Ivan Cardoso
A vida e a música deste representante do melhor samba de breque carioca.

Rio de Memórias
1987 – 33’ – Cor/Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. José Inácio Parente
Por meio de fotografias do Rio de Janeiro produzidas entre 1840 a 1930 é mostrada a evolução do ofício mágico dos fotógrafos, os pintores da luz, na sua incansável documentação dos costumes, tipos humanos e arquitetura da cidade.

recine2013

TERÇA-FEIRA, DIA 26 DE NOVEMBRO

CAVE

10h ‒ Olhar estrangeiro
2006 – 70’ – Cor – Brasil – Documentário – 14 anos
Dir. Lúcia Murat
Um filme sobre os clichês e as fantasias que se avolumam pelo mundo afora sobre o Brasil. Baseado no livro “O Brasil dos gringos”, de Tunico Amâncio, o documentário mostra a visão que o cinema mundial tem do país através de entrevistas com os diretores, roteiristas e atores.

12h ‒ A dama do Estácio
2012 – 22’ – Cor – Brasil – Ficção – 12 anos
Dir. Eduardo Ades
Zulmira é uma velha prostituta. Um dia ela acorda obcecada com a ideia de que vai morrer. Ela precisa então de um caixão.

Boca de Ouro
1963 – 103’ – Pb – Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Nelson Pereira dos Santos
Repórter tenta fazer o perfil de um famoso bicheiro carioca entrevistando sua ex-amante, que fornece três versões diferentes da personalidade do contraventor. Bem-sucedida adaptação da peça teatral homônima de Nelson Rodrigues, com Odete Lara como Guigui.

14h – Cidade do Rio de janeiro
1949 – 38’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Humberto Mauro
Documentário sobre o Rio de Janeiro na década de 1940, então capital da República. A famosa geografia da cidade e seus prédios históricos no dia a dia da população.

Rio, uma visão do futuro
1966 – 11’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Xavier de Oliveira
Maquetes de um grandioso projeto do arquiteto Sérgio Bernardes propondo a solução da cidade vertical para o problema urbanístico do Rio de Janeiro.

Tópicos urbanos
2005 – 52’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Ivana Mendes
Um retrato da urbanização da cidade do Rio de Janeiro, desde a fundação até os dias atuais, enriquecido com depoimentos de historiadores, urbanistas e pesquisadores.

16h – Programa Cinema Rio
1980 – 60’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
De TV Brasil
Programa da década de 80 onde importantes cineastas apresentavam curtas sobre o Rio de Janeiro.

18h – Alma carioca, um choro de menino
2002 – 6’ – Cor – Brasil – Animação – Livre
Dir. William Côgo
História de um menino que vive na zona portuária do Rio de Janeiro da década de 1920 e testemunha o surgimento do choro, quando encontra os grandes mestres pioneiros desse estilo musical puramente carioca.

Partido alto
1982 – 22’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Leon Hirszman
Com raízes na batucada baiana, o Partido Alto é uma forma de comunhão, reunindo sambistas em qualquer lugar e hora, pelo simples prazer de se divertir.

O samba que mora em mim
2010 – 72’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Geórgia Guerra-Peixe
Documentário ambientado no Morro de Mangueira, na cidade do Rio de Janeiro, no período pré-carnaval. O ponto de partida é a quadra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, lugar do reencontro da diretora Geórgia Guerra-Peixe com sua própria história.

AUDITÓRIO

10h – Fábula, minha casa em Copacabana (Mitt hem är Copacabana)
1965 – 88’ – Pb – Brasil/Suécia – Ficção – 12 anos
Dir. Arne Sucksdorff
Jorginho, seu melhor amigo Rico, Lici e Paulinho moram em uma favela em Copacabana. Eles passam suas vidas empinando pipas, tentando sobreviver com a comida que encontram nas ruas e no mercado público, aprendendo a engraxar sapatos.

12h – Vai trabalhar, vagabundo
1973 – 95’ – Cor – Brasil – Ficção – 12 anos
Dir. Hugo Carvana
Dino (Carvana) acabou de deixar a prisão e quer aproveitar a liberdade, revendo os velhos amigos e namoradas. Ele se recusa a trabalhar, preferindo viver na vadiagem. Ao saber que o local onde jogava sinuca está em baixa, ele elabora um plano para provocar o maior confronto da história da malandragem carioca.

14h – MESA DE DEBATES
Rio de Memórias: fotografia e cinema no início do século XX
Palestrantes: José Inácio Parente/ Milton Guran/ Joaquim Marçal/ Pedro Vasques (Ver seção Fórum de Debates)
Mediação: Claudia Heynemann

16h – MOSTRA COMPETITIVA
De corpo ausente (oficina de vídeo)
2013 – 9’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Agnaldo Marcondes, Juliana Ribeiro e Urubatan França Nogueira
Narra os chamados desaparecimentos forçados ocorridos na cidade do Rio de Janeiro, atingindo principalmente jovens negros e de baixa renda. Um lado marcado por histórias de tristezas, angústias e sofrimentos que envolvem as mães dos jovens desaparecidos em busca de notícias, e outro lado marcado pelo descaso e omissão do Estado e autoridades policiais.

O subúrbio e o centro (oficina de vídeo)
2013 – 8’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. João Vitor dos Santos
Mostra como o subúrbio e o centro vêm se influenciando ao longo dos tempos. São locais que guardam um legado humano e cultural e que formaram muitos dos costumes presentes no cotidiano do Rio.

Tudo balança porque Deus dança (oficina de vídeo)
2013 – 13’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Aline Guimarães, Alessandra Stropp, Beatriz Coelho Silva e Jacqueline Neves da Silva
Marina vive há mais de 20 anos dentro de um barco, no Quadrado da Urca, o mais belo cartão postal do Rio de Janeiro. Sua história nos coloca à deriva no coração da Baía da Guanabara, refletindo entre devaneios o passado, presente e futuro da cidade. Um olhar de quem optou viver às margens, sobre as águas.

Os filmes que eu não fiz
2013 – 26’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Petrus Pires
Precursor da cinematografia baiana, pelas lentes de Alexandre Robatto foram captadas as mais antigas imagens audiovisuais até hoje preservadas de uma Bahia provinciana: familiar e de grandes desfiles populares. Registrou ainda uma Bahia negra e litorânea. A partir da convivência com Jorge Amado, Mario Cravo Junior e Carybé, ele lança um olhar inédito sobre a capoeira, a pesca de xaréu, as danças e outras atividades, até então vistas apenas com preconceito.

Eu, eu, eu José Lewgoy
2011 – 93’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Cláudio Kahns
Através de depoimentos e muitas imagens de arquivo, o documentário mostra a carreira do ator e sua trajetória no Brasil e no mundo, além de revelar fatos importantes de sua vida. Entre os que trabalharam com ele no cinema e na televisão ao longo dos anos e compartilham histórias, gente como Gilberto Braga, Tônia Carrero, Chico Caruso, Millôr Fernandes, Luis Fernando Veríssimo, Anselmo Duarte, entre outros.

18h – MOSTRA COMPETITIVA
Três no tri
2013 – 15’ –Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Eduardo S. Lima
Copa do México, 1970: Pelé faz o gol da virada contra a Tchecoslováquia, ajudando a seleção brasileira rumo ao tricampeonato. Orlando Abrunhosa imortalizou o feito na foto mais reproduzida mundo afora, mas esta não é a sua única façanha.

Sagatio, história de cinema
2013 – 20’– Cor –Brasil – Documentário – Livre
Dir. Amaro Filho
Traz a trajetória de João Sagatio, chefe-eletricista de cinema, que conta também histórias sobre a cinematografia brasileira.

Mamonas pra sempre
2009 – 85’ – Cor – Brasil – Documentário – 10 anos
Dir. Cláudio Kahns
A história da banda Mamonas Assassinas, cuja meteórica carreira – de oito meses e mais de três milhões de discos vendidos – foi interrompida pelo acidente aéreo que culminou na morte de seus cinco integrantes, chocando e comovendo o Brasil.

AUDITÓRIO

20h – Copacabana, mon amour
1970 – 95’ – Cor – Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Rogério Sganzerla
Versão restaurada com o patrocínio da Petrobras Cultural e produzida pela Mercúrio Produções.
Sônia Silk circula por Copacabana, no Rio de Janeiro, com o grande sonho de ser cantora da Rádio Nacional. Ela é irmã de Vidimar, empregado apaixonado pelo patrão, o Dr. Grilo. Sônia Silk vê espíritos baixarem em seres e objetos e procura o pai de santo Joãozinho da Gomeia para livrá-la desta aflição. Trilha sonora de Gilberto Gil.

QUARTA-FEIRA, DIA 27 DE NOVEMBRO

CAVE

10h – Orfeu negro (Black Orpheus)
1959 – 90’ – Cor – França/Itália/Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Marcel Camus
Adaptação para o cinema da peça teatral “Orfeu da Conceição”, escrita por Vinícius de Morais, com música composta por Antônio Carlos Jobim, que ambienta no carnaval do Rio de Janeiro uma versão moderna do mito grego de Orfeu. Grande sucesso premiado com o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e com a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

12h – Fulaninha
1986 – 100’ – Cor – Brasil – Ficção – 16 anos
Dir. David Neves
Ensaio autobiográfico onde o cineasta filma uma garota que passa pela rua e se apaixona, sem saber, pela mãe dela.

14h – Adhemar Gonzaga
1969 – 12’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Julio Heilbron
A influência de Adhemar Gonzaga, fundador da Cinédia, na criação de uma consciência cinematográfica e de uma infraestrutura industrial no Brasil.

O poeta do castelo
1959 – 8’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Joaquim Pedro de Andrade
Versos de Manuel Bandeira, lidos pelo poeta, acompanham e transfiguram os gestos banais da rotina em seu pequeno apartamento no Centro do Rio; a modéstia do seu lar, a solidão, o encontro provocado por um telefonema, o passeio matinal pelas ruas de seu bairro.

Por Gentileza
2002 – 14’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Dado Amaral
Documentário sobre o Profeta Gentileza, um “louco de Deus” que viveu no Rio de Janeiro e pregou por todo Brasil sua mensagem anticapitalista, ecológica, social e religiosa, cujo ponto de partida é a máxima “Gentileza gera gentileza”. O depoimento de Gentileza, sua atuação nas ruas do Rio de Janeiro e o registro de sua obra pictórica são os grandes atrativos do filme.

Nelson Sargento
1997 – 22’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Estevão Ciavatta
Retrato biográfico do sambista Nelson Sargento durante uma visita ao Morro da Mangueira, no Rio de Janeiro.

Santa Marta: duas semanas no morro
1987 – 54’ – Cor – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Eduardo Coutinho
O dia a dia dos moradores do morro Santa Marta, Zona Sul do Rio de Janeiro. A religiosidade, a música, a violência, o racismo e as utopias dos jovens revelados pela lente sensível de Eduardo Coutinho.

16h – Faixa de areia
2004 – 90’ – Cor – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Flávia Lins e Silva e Daniela Kallmann
Verão de 2004. Sessenta quilômetros de praias cariocas e muitas histórias. A pluralidade e complexidade das diversas classes sociais que dividem o mesmo espaço sob o sol. Escritores, artistas, prostitutas e vendedores anônimos contam as histórias que se cruzam nas areias cariocas.

18h – As batidas do samba
2011 – 82’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Bebeto Abrantes
As grandes revoluções rítmicas na cidade do Rio de Janeiro, tomando como base os instrumentos de percussão. Essencialmente musical, o filme participa de rodas de samba com grandes nomes como Monarco, Wilson das Neves, Moacyr Luz, Paulão Sete Cordas e a turma do Fundo de Quintal.

AUDITÓRIO

10h – Interlúdio (Notorious)
1946 – 101’ – Pb – EUA – Ficção – 16 anos
Dir. Alfred Hitchcock
Alicia Huberman (Ingrid Bergman) é uma alemã naturalizada americana convocada pelo agente secreto americano Devlin (Cary Grant) para uma missão no Rio de Janeiro. Como espiã, Huberman terá que se infiltrar numa organização nazista que vem atuando no Brasil e, para isso, deverá casar-se com Alex Sebastian (Claude Rains), líder da organização. Apaixonada por Devlin, ela aceita a missão e vai até as últimas consequências, mesmo correndo risco de vida.

12h – Filmes do Setor de Rádio e TV da Embrafilme – SRTV (Ver seção Mostra Informativa)

14h – MESA DE DEBATES
SRTV: registros do cinema brasileiro
Palestrantes: Aída Marques / Tizuka Yamasaki / José Carlos Asbeg (Ver seção Fórum de Debates)
Mediação: Lacy Barca

16h – MOSTRA COMPETITIVA
Califa 33
2013 – 26’ – Cor – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Yanko Del Pino
Repórter policial retirava a notícia do esgoto. Às vezes a embelezava, às vezes a contava nua e cruamente.

O prólogo
2013 – 94’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir: Gabriel Marinho
O uso da propaganda política através do cinema e da televisão na década de 1960. A partir do depoimento dos profissionais envolvidos e de imagens de arquivo, o documentário conta a história dos cinejornais feitos naquela época, a maioria encomendada pelo Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais (IPES), instituição atuante cuja finalidade era integrar os diversos movimentos sociais de direita para que pudessem “deter o avanço do comunismo soviético no Ocidente”.

18h – MOSTRA COMPETITIVA
Dreams
2010 – 6’ – Cor – Espanha – Experimental – 12 anos
Dir. Enrique Piñuel
Visão onírica dos medos da infância.

O amor em pedaços
2013– 7’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Felipe de Oliveira
O amor é um tema universal e esse filme resolveu se apropriar dele para contar histórias através das fotografias. Surgiu de um processo de pesquisa feito a partir de fotografias antigas com dedicatórias no verso. Os rostos jovens eternizados naquele lapso, a caligrafia desbotada pelo tempo.

À luz do dia
2013 – 7’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Joana Nin
À procura da memória de uma antiga casa desocupada, uma câmera caça vestígios das pessoas que ali viveram. Imagens de família contrastam a vivacidade e o abandono.

Cine Éden
2013 – 15’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Edson Bastos e Henrique Filho
O Cine Teatro Éden, localizado na cidade de Ipiaú, na Bahia, foi palco de muitas histórias que marcaram diversas gerações com exibições de filmes, peças teatrais e shows musicais. Mais de 20 anos se passaram após o seu fechamento e o tombamento da sua fachada, e até hoje muitos sonham com o Novo Cine Éden.

Remoção
2013 – 85’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Luiz Antonio Pilar
Remoção de favelas da Zona Sul do Rio.

AUDITÓRIO

20h – Ladrões de cinema
1977 – 127’ – Cor – Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Fernando Coni Campos
No carnaval, foliões assaltam uma equipe de filmagem americana e decidem rodar um filme com o material roubado.

QUINTA-FEIRA, DIA 28 DE NOVEMBRO

CAVE

10h – O homem do Rio (L’Homme de Rio)
1964 – 110’ – Cor – França – Ficção – Livre
Dir. Philippe de Broca
O roubo de uma relíquia de antiga civilização desencadeia uma série de aventuras que envolvem morte e sequestro. A ação percorre alguns lugares do mundo, como Paris, e chega também ao Brasil: os cenários são Brasília, o Amazonas e o Rio de Janeiro.

12h – Projeto 68
2008 – 13’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Júlia Mariano
Rio de Janeiro, 1968. O movimento estudantil comanda as maiores manifestações contra a ditadura, num crescente desde a morte do estudante Edson Luís até o clímax na Passeata dos Cem Mil. Com imagens realizadas por Glauber Rocha, Sílvio Da-Rin, Arnaldo Jabor e fotografias de Pedro de Moraes e Evandro Teixeira, Projeto 68 remonta em imagens e sons essa trajetória.

Vocação do poder
2005 – 110’ – Cor – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Eduardo Escorel e José Joffily
Nas eleições municipais de 2004, na cidade do Rio de Janeiro, duas equipes acompanham seis candidatos que concorrem, pela primeira vez, ao cargo de vereador.

14h – Carioca era um rio
2012 – 74’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Simplício Neto
Documentário sobre o rio que deu nome aos habitantes da cidade do Rio de Janeiro. Principal fonte de abastecimento de água por dois séculos, o rio Carioca orientou o crescimento dessa capital, mas hoje é um grande canal de esgoto submerso que deságua na Baía da Guanabara. A história desse rio é a história do desenvolvimento urbano no Brasil.

16h – Rainha diaba
1974 – 100’ – Cor – Brasil – Ficção – 18 anos
Dir. Antônio Carlos da Fontoura
Diaba (Milton Gonçalves), um homossexual, comanda de um dos quartos de um bordel na Lapa uma quadrilha responsável pelo controle de vários pontos de venda de droga. Sabendo que um dos seus homens de confiança está para ser preso, Diaba “fabrica” um novo marginal, para depois entregá-lo a polícia. Catitu (Nélson Xavier), seu homem de confiança, decide que o alvo será Bereco (Stepan Nercessian), um garotão sustentado por Isa (Odete Lara), uma cantora de cabaré.

18h – Coisa mais linda: histórias e casos da bossa nova
2005 – 128’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Paulo Thiago
O filme mostra um painel histórico, musical e informativo sobre o nascimento da Bossa Nova, nos anos 50. O movimento musical atingiu o ápice em 1962, quando se internacionalizou definitivamente em um concerto no Carnegie Hall, em Nova York. Entrevistas com Roberto Menescal, João Donato, Alaíde Costa, Johnny Alf, Leny Andrade, entre outros.

AUDITÓRIO

10h – É tudo verdade (It’s all true)
1993 – 85’ – Cor – EUA/França – Documentário – 12 anos
Dir. Bill Krohn, Myron Meisel, Richard Wilson e Norman Foster
Em 1942, Orson Welles veio ao Brasil fazer um filme sobre a cultura local, porém o projeto não foi terminado. Este documentário mostra porque o filme não foi concluído, relatando os problemas que apareceram e mostrando cenas que chegaram a ser gravadas.

SESSÃO ESPECIAL
12h – Sobre o abismo
2012 – 30’ – Cor – Brasil – Documentário – 18 anos
Dir. André Brasil
Por essa tela já passou boa parte da história do cinema, mas a cada sessão é como se ela estivesse ainda virgem, antes do começo de tudo. A tela em branco é um imenso abismo feito de esquecimento.

Uma avenida chamada Brasil
1989 – 85’ – Cor – Brasil – Documentário – 16 anos
Dir. Octávio Bezerra
Crônica sobre a avenida que dá acesso ao Rio de Janeiro, passando por diversas favelas e bairros operários. Assaltos e a violência dos esquadrões são alguns dos fatos capturados por uma câmera que rodou pela Avenida Brasil ao longo de seis meses.

14h – MESA DE DEBATES
Acervos cariocas: a renovação das imagens de arquivo
Palestrantes: Representantes do Instituto Moreira Salles e Museu da Imagem e do Som
Mediação: Antônio Laurindo

16h – MOSTRA COMPETITIVA
Reporte Isso (oficina de vídeo)
2013 – 7’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Rodrigo Moraes, Heraldo Hb, Tainá Rei e Walen Rocha
Cinejornal satírico com os episódios “Kripitonita”, “Orgias de Gabi”, “Trem da China” e “Maníaco do Arquivo”.

Choque (oficina de vídeo)
2013 – 6’ – Cor – Brasil – Documentário – 16 anos
Dir. Gladys M.V., Ignez Souza e Di Marighella
Documentário experimental que propõe, a partir da associação anarcodeflagrativa de imagens de arquivo, um panorama ritmado da intensa violência contra manifestantes promovida pelo Estado na cidade do Rio de Janeiro.

Inventário carioca (oficina de vídeo)
2013 – 5’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Diana Zatz Mussi, Eugênio Vieira e Pedro Palhares
A partir do arquivo de cinejornais, o filme expõe relações e contradições entre o progresso, a invenção da identidade carioca e a construção de um imaginário de cidade.

Vozes (oficina de vídeo)
2013 – 8’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Carolina de Araújo e Rodrigo Moraes
Em 1956, mulher escuta pelo rádio o anúncio do esperado Plano de Metas de JK, que promete 50 anos de progresso em 5 anos de realizações. Ao ouvir a 31ª meta – transferência da capital do Brasil para o Planalto Central –, questiona o que acontecerá com o Rio de Janeiro e o povo carioca após essa mudança.

Fragmentos de uma cidade indivisível (oficina de vídeo)
2013 – 10’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Jessika Goulart e Ítalo Rocha
Se a existência em todos os momentos é uma única, a cidade é o lugar da existência indivisível. Mas, então, qual é o motivo da cidade?

Está em seus olhos (It’s in your eyes)
2011 – 6’ – Cor – Espanha/Peru – Documentário – Livre
Dir. Sergio García Locatelli e Sean Schoenecker
Há coisas que nos faz hesitar, momentos em nossas vidas que nos assustam. Para obter orientação em tais casos, nós olhamos para as pessoas mais próximas a nós. Mas às vezes não estão lá. O que acontece quando nos damos conta de que nossos pensamentos são as únicas respostas que temos? (Legendas em inglês)

A incrível volta ao mundo do tricolor suburbano
2013 – 23’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Felipe Nepomuceno
Curta-metragem produzido a partir das memórias dos ex-jogadores do Madureira Atlético Clube, que deu a volta ao mundo na década de 1960.

Em busca de Iara
2013 – 91’ – Cor – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Flávio Frederico
Através de uma investigação pessoal de sua sobrinha, Mariana, o filme resgata a vida da guerrilheira Iara Iavelberg. Uma mulher culta e bela que deixou para trás uma confortável vida familiar, optando por engajar-se na luta armada contra a ditadura. Vivendo uma rotina de sequestros e ações armadas, era a companheira do ex-capitão Carlos Lamarca, tornando-se um dos alvos mais cobiçados da repressão.

18h – MOSTRA COMPETITIVA
Lino Micciché, meu pai – Uma visão de mundo (Lino Micciché, mio padre)
2013 – 83’ – Cor e Pb – Itália – Documentário – Livre
Dir. Francesco Micciché
A vida de Lino Micciché, um grande intelectual, crítico, historiador, colunista e organizador cultural, é narrada do ponto de vista pessoal de seu filho, o diretor Francesco Micciché.

20h – Duas histórias
2013 – 52’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Angela Zoe
Produzido com o apoio do projeto Marcas da Memória, da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça, tendo como linha condutora a trajetória de dois militantes socialistas na luta contra a ditadura militar brasileira.

100 anos-luz
2013 – 70’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Sérgio Roizenblit
Em um passeio pela história da energia elétrica, o filme mostra a transformação da sociedade rural para a sociedade urbana no século XX, a partir de dez ícones eletroeletrônicos representativos dessa progressiva transformação e da criação dos conceitos de cidade moderna, conforto e diversão.

SESSÃO ESPECIAL NA CINEMATECA DO MUSEU DE ARTE MODERNA – MAM
HOMENAGEM A ADHEMAR GONZAGA E CINÉDIA
20h – Ganga bruta
1933 – 82’ – Pb – Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Humberto Mauro
Após matar a esposa na noite de núpcias por uma questão de honra, homem enriquece na indústria e apaixona-se por uma jovem inocente. Com a direção de Humberto Mauro, um dos maiores cineastas da história do cinema nacional. Ele realizou uma admirável descrição da vida brasileira nos anos 30, onde predominam a sensualidade, a repressão sexual e a violência urbana. O filme apresenta sequências admiráveis como as brincadeiras eróticas no jardim.

SEXTA-FEIRA, DIA 29 DE NOVEMBRO

CAVE

10h – Alô, amigos (Saludos amigos)
1943 – 42’ – Cor – EUA – Ficção – Livre
Dir. Norman Ferguson e Wilfred Jackson
Walt Disney e seus animadores partem em uma excursão rumo à América do Sul, onde procuram conhecer as peculiaridades locais e aplicá-las em animações envolvendo personagens famosos, como Pato Donald e Pateta, e outros inéditos, como Pedro e Zé Carioca.

12h – Copacabana me engana
1969 – 96’ – Pb – Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Antonio Carlos da Fontoura
Marquinhos (Carlo Mossy) tem 20 e poucos anos e vive em Copacabana com seus parentes burgueses e o irmão mais velho. Ele não trabalha e não estuda, vive apenas o momento. Até que um dia encontra Irene (Odete Lara), uma mulher quarentona, e sua vida muda por um tempo.

14h – Reidy, a construção da utopia
2009 – 77’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Ana Maria Magalhães
A trajetória do arquiteto e urbanista Affonso Eduardo Reidy (1909-1964) através de sua proposta de transformação do Rio de Janeiro em cidade moderna e a repercussão de sua obra na atualidade.

16h – Em busca de um lugar comum
2012 – 80’ – Cor – Brasil – Documentário – 10 anos
Dir. Felippe Schultz Mussel
Rio de Janeiro, 2011. Anunciadas mundo afora como principal palco das mazelas sociais brasileiras, as favelas cariocas figuram, paradoxalmente, entre os mais sedutores cartões postais do Rio de Janeiro. Imerso nos tours pela Favela da Rocinha, o documentário investiga os desejos e as imagens envolvidas na construção deste disputado destino turístico.

18h – L.A.P.A.
2008 – 74’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Cavi Borges e Emílio Domingos
LAPA: bairro boêmio do Rio de Janeiro, tradicional reduto de sambistas. Hoje é também ponto de encontro de MCs e do rap. Participações especiais de: Chapadão, Funkeiro, Aori, IKY, Marcelo D2, Macarrão, BNegão, Black Alien, Marechal, Buiú da 12, Gil, Airão Crespo, Kelson, Sheep.

AUDITÓRIO

10h – De braços abertos
2008 – 52’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Bel Noronha
A história da construção de um dos grandes ícones da cidade do Rio de Janeiro, o monumento ao Cristo Redentor.

Samba
2012 – 54’ – Cor – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Thereza Jessouroun
O documentário procura revelar o samba fora do carnaval e longe das câmeras de TV, o samba não estereotipado, diferente da imagem que os turistas vendem de nós mesmos. O samba das biroscas do alto do morro, ou dos ensaios técnicos realizados sem fantasia e de pé no chão, ou nas rodas de samba das esquinas da favela.

SESSÃO ESPECIAL
12h – Ozualdo Candeias e o cinema
2013 – 103’ – Cor e Pb – Brasil – Documentário – 12 anos
Dir. Eugenio Puppo
A trajetória do caminhoneiro que se tornou um dos maiores cineastas do Brasil. Quem narra a história é o próprio Candeias, tendo como pano de fundo as diversas fases do cinema nacional e a Boca do Lixo paulista, principal polo de produção durante os anos 1970.

14h – Rio anos 70
2012 – 75’ – Cor – Brasil – Documentário – 14 anos
Dir. Maurício Branco e Patrícia Faloppa
Em 1970, o país passava por uma ditadura militar, mas, ainda assim, artistas e intelectuais do cenário cultural carioca bradavam por liberdade de expressão com muita irreverência. Com depoimentos de personalidades como Ney Matogrosso, Evandro Mesquita, Regina Casé entre outros.

16h – Arquitetura da desconstrução (oficina Arquivo Nacional)
2013 – 6’ – Cor – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Rodrigo de Sá Neto, Viviane Gouvêa e Roberto Honorato.
O Palácio Monroe, localizado na Cinelândia, compunha um conjunto arquitetônico nascido em meio às reformas urbanas de Pereira Passos no início do século XX. A partir da sua construção em 1906, e destruição em 1976, o curta apresenta a arbitrariedade que pautou as reformas urbanas no Rio de Janeiro ao longo dos últimos cem anos.

SESSÃO MAM – 3 filmes
Cidade do Rio de Janeiro
1924 – 31’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Alberto Botelho
Uma apresentação dos vários sítios urbanos da então capital da República, ofertado aos príncipes do Piemonte, por ocasião de sua visita ao Brasil. Cópia cedida pela Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Fragmentos da terra encantada
1922 – 37’ – Pb – Brasil – Documentário – Livre
Dir. Silvino Santos
Documentário de Silvino Santos mostrando imagens da cidade do Rio de Janeiro então capital da República, na década de 1920.

Japoneses no Brasil
1935 – 22’ – Pb – Japão – Documentário – Livre
Dir. Eisuke Saeki
Raríssimo documento sobre o Brasil visto por um olhar estrangeiro. Retrata a passagem de Saeki pelo Rio de Janeiro na época do carnaval e em seguida pela Amazônia, acompanhando a subida do Rio Amazonas.

18h – Casa da Mãe Joana 2
2013 – 82’ – Cor – Brasil – Ficção – 14 anos
Dir. Hugo Carvana
Montanha (Antônio Pedro), Juca (José Wilker) e PR (Paulo Betti) são três grandes amigos que só se metem em confusões. Agora, Montanha é um escritor bem-sucedido e tem muito a comemorar com o sucesso do seu livro. Em contrapartida, seus dois amigos não mudam: Juca acaba preso por participar de uma maratona de cannabis, e PR usa, mais uma vez, seus encantos para tirar vantagem de uma viúva rica. Com a volta deles para a casa de Montanha, vai ser confusão na certa!

AUDITÓRIO

20h – Homenagem ao ator e cineasta Hugo Carvana
Cerimônia de premiação dos filmes da Mostra Competitiva
Pré-estreia: A arte do renascimento: uma cinebiografia de Sílvio Tendler
2013 – 72’ – Cor – Brasil – Documentário – 16 anos
Dir. Noilton Nunes
Sílvio Tendler, um dos mais importantes documentaristas da atualidade, sofreu uma grave doença que o deixou tetraplégico. Após delicada operação na medula, ele foi pacientemente recuperando suas forças, sua vontade de viver e de criar. O filme o acompanha desde seus primeiros passos com o aparelho “andador” pelo calçadão de Copacabana, e vai seguindo-o na sua cadeira motorizada, documentando o que ele conta sobre sua vida e obra.

A entrada é franca.

~ por Tommy Beresford em novembro, 22 2013.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: