[Cineclube DVD] Semana de 01 a 07.06.2013 – Juventude Transviada

Olá, pessoal!

O tema é um tanto polêmico. No Brasil, hoje, a discussão é sobre a maioridade penal para 16 anos. O nosso espaço aqui não vai tomar partido: apenas acredito que, se a partir dos 16 anos o jovem já pode votar e escolher seu governante, então ele já está apto a responder por seus direitos e deveres de cidadão. O voto do jovem a partir dos 16 anos pode mudar o destino de uma nação e a responsabilidade é igual para todos.

São tantos casos cabeludos acontecendo diariamente por esse país envolvendo menores de 18 anos que dá até medo.

No meu tempo, quem não tinha 18 anos não podia entrar em filmes impróprios para menores desta idade. Atualmente fico pasmo em ver pais levarem seus filhos menores para verem filmes totalmente inadequados para a idade deles. Direitos? Que educação você estará dando para o seu filho hoje? Um caso sério de reflexão.

Pensando assim, lembro de James Dean (1931-1955), o grande ator americano que personificou alguns tipos rebeldes (para a época) na sua meteórica carreira no cinema: 7 filmes. Morreu com apenas 24 anos num desastre de automóvel. Até hoje ele é considerado um ícone na personificação desses tipos que representava na tela. Angústias dos anos 50 que eu não saberia descrevê-las para vocês.

O filme em questão é JUVENTUDE TRANSVIADA, dirigido por Nicholas Ray em 1955, e que estreou logo após a morte do ator. No filme, Dean encarna um jovem problemático que força seus pais a mudarem constantemente de cidade por sua causa.

Os problemas da juventude, quase 60 anos atrás, eram um pouco mais complicados comparados com os hoje mas, no meu ponto de vista, muito mais ingênuos e inócuos.

Jim Stark (James Dean) só causa problemas aos seus pais devido o vício com o álcool. Numa dessas beberragens, cria problemas de desordem e vai parar no distrito policial, em Los Angeles. Lá, ele vem a conhecer Judy (Natalie Wood), outra jovem revoltada com os pais, e também um outro rapaz, Plato (Sal Mineo). Em liberdade, volta a criar problemas com o namorado de Judy, que é líder de uma gangue do colégio. Rivalidades que criarão consequências trágicas para todos os envolvidos. Rebeldes sem causa?

Olha o elenco: James Dean, Natalie Wood, Sal Mineo, Denis Hopper, entre outros. Em 1956 foi indicado ao Oscar de Melhor ator Coadjuvante (Sal Mineo), Melhor Atriz Coadjuvante (Natalie Wood) e Melhor História Original.

Um bom filme para os país de hoje refletirem. O mundo dá muitas voltas e a educação muda, naturalmente. E hoje, como estará a sua?

Vídeo no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=UN9JiwkollM

Fiquem com a dicas!
Boa diversão
Al Hitch

~ por Al Hitch em junho, 01 2013.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: