[Cineclube DVD] Semana de 14 a 20.07.2012 – Um Convidado Bem Trapalhão

Olá, pessoal!

Sou fã de comédias. Gosto de rir com as palhaçadas e desencontros dos antigos filmes produzidos em Hollywood. Carlitos, O Gordo e o Magro, Jerry Lewis, Woody Allen, os irmãos Marx, as comédias italianas, francesas, inglesas e as chanchadas nacionais, claro. Tudo isso era motivo para ir ao cinema e ficar me divertindo no escurinho do cinema.

Atualmente, as comédias parecem que mudaram. Sairam do tom inocente para o deboche. Há quem curta esse tipo de humor pesadão que ridiculariza e não torna o riso genuíno, leve. Woody Allen, hoje, prefere fazer filmes turísticos. Aqueles personagens abobalhados dos seus antigos filmes já não têm mais vez. O público é outro. Quem quiser e tiver a curiosidade de conhecê-los (ou revê-los) é só procurar na seção dos clássicos da sua locadora. Felizmente, muitos títulos podem ser encontrados. É só pegar!

Tive o prazer de rever, numa dessas buscas, um clássico das comédias do final dos anos 60: UM CONVIDADO BEM TRAPALHÃO (The Party), dirigida, co-escrita e produzida em 1968 por Blake Edwards (1922-2004). É uma comédia louquíssima, num crescendo de situações até a catarse final. Achei que não iria rir como da primeira vez que o vi mas, confesso, dei altas gargalhadas, “desopilei o meu fígado”.

O filme é estrelado por Peter Sellers, um homem das mil faces. Nesta produção ele dá vida a um confuso figurante indiano que “detona” tudo por onde passa, para começar o cenário do filme em que estava trabalhando, enlouquecendo o diretor, que promete inclui-lo na lista negra dos estúdios de Hollywood. Mas isso é só o começo…

Hrundi V. Bakshi (Sallers) é um atrapalhado ator indiano tentando o sucesso na meca do cinema. Depois de ser despedido, por destruir o cenário do filme de um grande estúdio de filmagem, é incluído acidentalmente numa lista de convidados de uma grande festa que irá acontecer na casa do produtor do filme. Chegando à casa do anfitrião, coisas estranhas e bizarras começam a acontecer causadas, naturalmente, pelo enlouquecido indiano.

A tal casa, que serve de cenário para o filme, foi construída inteiramente nos estúdios da MGM.

Um filme que lembra a agitação dos anos 60 como acordes de cítara, um rock como canção tema, os hippies e as letras psicodélicas dos créditos finais e clima “liberou geral” do clímax do filme.

Quase todo o elenco do filme faz “escada” para as gags de Peter Sellers. O garçon bêbado (Steven Franken) é o único com direito a alguns solos, muitas vezes no fundo do quadro, roubando a cena. O ator trabalhou durante décadas na TV em seriados como “A Feiticeira” e “Seinfeld”.

O filme fez um imenso sucesso aqui no Brasil. Para assistir e espantar as tristezas.

Vídeo no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=mx2ORI45UKk

Fiquem com as dicas!
Boa diversão.
Al Hitch

~ por Al Hitch em julho, 14 2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: