Cinema brasileiro na ditadura

Matéria de Marco Tomazzoni no portal iG São Paulo fala sobre documentos sigilosos que revelam a postura do governo militar a filmes durante o período da ditadura:

Em um primeiro momento, o perfil dos censores era essencialmente moralista, ligado às ideias conservadoras da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que apoiaram o golpe militar. “De certa forma, era uma maneira de garantir as bandeiras que os levaram ao poder”, afirma Leonor. A mensagem era clara: traição, homossexualismo e palavrões não faziam bem para o país.

Por isso, não espanta o parecer, por exemplo, de “A Falecida” (1965), de Leon Hirszman, baseado na obra de Nelson Rodrigues. Segundo o documento, o filme mostra a “infidelidade da esposa, o cinismo do marido traído e a tentativa de conquista pelo ‘papa-defunto'”, no “pior” trabalho da carreira de Fernanda Montenegro. Considerando seu “ponto de vista moral”, o longa foi vetado para menores de 18 anos.

Leia a matéria completa clicando aqui.

~ por Tommy Beresford em maio, 31 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: