Mais uma lista: Melhores filmes de vampiros

Tom Cruise e Brad Pitt em Entrevista Com o Vampiro

Tom Cruise e Brad Pitt em Entrevista Com o Vampiro

O Terra traz mais uma daquelas questionáveis listas entre as intermináveis variações sobre os mesmos temas, desta vez com os melhores filmes de vampiros:

(…) preferimos seguir a dica da lendária diva Lauren Bacall que, indignada com o sucesso da série [Crepúsculo], resolveu presentear sua neta (uma fã assídua dos romances de Stephenie Meyer) com um DVD do clássico Nosferatu, de 1922. Ela estava certa. Crepúsculo e sua horda de vampiros vegetarianos e virginais não chega perto de alguns longas produzidos no cinema sobre o assunto. Por causa disso, antes de gastar dinheiro para assistir Lua Nova, alugue (ou compre) um desses clássicos abaixo. Temos certeza que o investimento valerá a pena:

Entrevista com o Vampiro (1994)

O que acontece quando juntam três grandes nomes de Hollywood – Tom Cruise, Brad Pitt e Antonio Banderas – num único filme sobre seres vampirescos? Uma explosão de testosterona e muita, muita gente suspirando pelos personagens principais. Mas Entrevista com o Vampiro não tem só isso. Tem sim, uma direção impecável de Neil Jordan, que reproduziu uma atmosfera épica muito difícil de se conseguir no cinema contemporâneo. Além de todos esses méritos o filme foi, sem dúvida, o precursor de uma nova onda de fixação pelos seres da noite – que voltaria com tudo com o lançamento de Crepúsculo, em 2008.

Nosferatu (1922)

Quando Nosferatu foi produzido, o cinema falado ainda não existia. Mas não se engane: o filme, dirigido por F. W. Murnau na Alemanha, prende sua atenção de um jeito que o cinema contemporâneo está longe de conseguir, mesmo recorrendo aos famosos letreiros que explicam a história. O filme é inspirado no romance Drácula de Bram Stoker, ainda que com um atmosfera muito mais sombria. Na época que ele foi realizado, Murnau teve que alterar o nome dos personagens, já que não tinha autorização para adaptar a história. Após um processo pela violação dos direitos autorais, muitas cópias foram queimadas, mas algumas ficaram. Para nossa alegria, hoje ele é de domínio público, e pode ser encontrado em qualquer locadora do País que trabalhe com clássicos – além de ter sido exibido à exaustão no canal a cabo TCM. Uma versão de Werner Herzog foi lançada em 1979. Nos anos 1990, A Sombra do Vampiro, com Willem Dafoe, o citaria mais uma vez.

Drácula de Bram Stoker (1992)

Esta recente adaptação de Drácula, de Francis Ford Coppola, pretende ser o mais fiel possível ao livro que o originou. Vlad Tepes defende a igreja cristã na Romênia, mas após a morte de sua amada, renega Deus e passa a se alimentar apenas de sangue – tornando-se imortal. O filme narra a busca desse vampiro na reencarnação da mulher de sua vida, Wilhelmina. Diferente dos anteriores, essa versão de Drácula é repleta de momentos sanguinários. Se não consegue ver sangue, evite.

Drácula (1931)

Até sua morte em 1956, o ator Bela Lugosi seria conhecido pelo papel de Drácula, que o consagrou e foi, ao mesmo tempo sua maldição – ainda que com proporções menos trágicas do que no romance de Bram Stoker. Com uma temática mais livre e leve, Lugosi deu um show de atuação ao encarnar o vampiro mais famoso de todos os tempos. Aqui, Drácula fica obcecado em transformar uma donzela em sua próxima vítima, mas o pai dela, Van Helsing (Edward Van Sloan) não se fará de rogado. Para se ter uma noção do impacto que esse longa causou na vida de Lugosi, um mero detalhe: ele foi enterrado com o traje do personagem, a pedido de sua família.

Dança dos Vampiros (1967)

O excêntrico Roman Polanski nos presenteou com esse filme, que usa a mítica dos vampiros para fazer piada – o que parece quase uma irônia, já que um ano depois ele rodaria O Bebê de Rosemary, um clássico absoluto do terror. Na trama, um professor universitário decide ir a Transilvânia para tentar combater vampiros, levando consigo o discípulo Alfred (o próprio Polanski), um sujeito medroso. No caminho, claro, tudo dá errado. E por incrível que pareça, na década de 1960 já faziam maquiagens de dar banho em certos filmes com vampiros pálidos vegetarianos…

Deixa Ela Entrar (2007)

E como não poderia deixar de ser, elegemos um representante da década de 2000. E não, não temos vampiros vegetarianos repletos de pancake. Estamos falando de Deixa ela Entrar, um dos melhores filmes da década, sobre uma menina vampira que chega com seu fiel companheiro a uma pequena comunidade sueca e acaba se apaixonando pelo vizinho, que sofre com o preconceito dos colegas na escola. Apesar de ser um romance adolescente, o filme tem uma dose de drama tão sutil – e ao mesmo tempo um terror que assusta sem fazer alarde ou forçar a barra -, que leva o filme para longe de se transformar em uma piada de mau gosto.

A lista foi encontrada aqui.

~ por Tommy Beresford em dezembro, 06 2009.

Uma resposta to “Mais uma lista: Melhores filmes de vampiros”

  1. Faltaram os filmes de Dracula, com Cristopher Lee.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: