Eastwood: Do seu tempo e das circunstâncias

Um trecho de interessante artigo de André Setaro no Terra Magazine fala sobre o filme “A Troca”, de Clint Eastwood:

(…) Clint Eastwood não é de perfumar os seus filmes, porque sua narrativa não é feita para brilhar (no mal sentido), ainda que brilhe pelo rigor de sua construção que, no dizer do crítico Inácio Araújo, é quase muscular. O cinema de Clint Eastwood é um cinema de seu tempo e de suas circunstâncias. É um cinema de macho, sobre ficar um pouco dura a afirmação, mas é verdadeira. É um cinema que procura auscultar os tormentos da sociedade americana. E estes tormentos estão presentes no recente A troca (Changeling, 2008), violentamente massacrado por uma parte da crítica. Mas em Changeling, sobre ter uma narrativa envolvente e rigorosamente equilibrada, estão inseridos os componentes de suas constantes estilísticas e temáticas, capazes de lhe outorgar o título de autor de filmes e, de certa maneira, o de um cineasta-pensador. (…)

Leia o artigo completo no site do Terra Magazine, clicando aqui.

~ por Tommy Beresford em fevereiro, 05 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: