Associação de Produtores Teatrais: Premiação de 2008

Charles Möeller e Cláudio Botelho

Charles Möeller e Cláudio Botelho

Da coluna de Heloísa Tolipan no JB Online:

A bronca com a nudez exposta por Pedro Cardoso no Festival do Rio respingou na turma do teatro, já que o manifesto do ator incluía, como contra-exemplo à sua tese, a nudez de Clarice Niskier em A alma imoral.

Na premiação da Associação dos Produtores de Teatro do Rio, anteontem, no Teatro Leblon, o tema dividiu corações e mentes. O homenageado, Sérgio Britto – que, nos idos dos anos 70, ficou nu na peça Os autos sacramentais – foi taxativo:

– Acho a discussão bobagem. A nudez, quando tem de acontecer, é linda.

Tônia Carrero fez coro: – Foi um mau momento do Pedro.

Apesar de já ter feito cenas de nudez no teatro (“inteiramente nua durante cinco segundos em O exercício e um meio nu em Apareceu a Margarida), Marília Pêra disse comungar das idéias de Pedro Cardoso:

– Achei bonito ele provocar a discussão, porque sei de histórias, contadas por amigos e por jovens atrizes da minha família, de que há testes em que o diretor pede de cara para a atriz ficar nua. Quando fiz o nu foi porque eu quis e representava liberdade.

Edwin Luisi – vencedor na categoria Atuação Masculina em Eu sou minha própria mulher – defendeu o direito de escolha do ator, mas confessou ter pudor com o próprio corpo.

Para a noite da homenagem a Sérgio Britto, “nosso Lee Strasberg”, a atriz Rogéria não economizou no look:

– Viu que eu coloquei duas pororocas de brilhantes aqui na orelha? São de verdade, tá? Também parei de tomar sol para me sentir mais pálida e usar vestido preto.

Papa-prêmios da noite, Charles Möeller foi eleito o Melhor Autor e, ao lado de Claudio Botelho (“a dupla dinâmica”, segundo o mestre-de-cerimônias Marco Nanini), levou os prêmios de Melhor Direção e Categoria Especial, por 7 – O musical.

O espetáculo ainda abocanhou os prêmios de Melhor Figurino (Rita Murtinho) e de Iluminação (Paulo César Medeiros).

– Gente, vocês realmente gostam de mim. Estou me sentindo a Sally Field – disse Charles referindo-se ao memorável discurso da atriz no Oscar de 85.

Leia mais clicando aqui.

Post relacionado:
RJ: Prêmio da Associação de Produtores Teatrais 2008

~ por Tommy Beresford em outubro, 22 2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: