[Resenhas] Medianeras

Começar a resenha falando da excelente trilha sonora de “Medianeras”, citando como exemplo “True Love Will Find You In The End”, de Daniel Jonhston, e “Ain’t no Mountain High Enough”, de Marvin Gaye, pode confundir o leitor e não tornar claro que este excelente filme é argentino e um dos melhores a que assisti em 2011, em ida ao cinema logo após dois outros bom exemplares latinos, o bom “Outubro”, do Peru, e outro argentino, o excelente “Um Conto Chinês” (leia a resenha do Cinema é Magia clicando aqui). Mas a trilha é mesmo ótima, e o filme como um todo também.

“Medianeras” inicia de forma incrível talvez porque, para quem conhece e ama Buenos Aires como eu, comece justamente de forma quase dolorosa: os primeiros minutos são de uma singular reflexão sobre a arquitetura da cidade, como se finalmente olhássemos para cima percebendo suas construções. As tais medianeras do título são os grandes paredões entre os prédios ou no fundo deles, mas às vezes amplamente visíveis tornando a paisagem triste e sem sentido.

O ótimo Javier Drolas interpreta um dos protagonistas, Martin. O diretor Gustavo Taretto (que levou no Festival de Gramado 2011 os prêmios de Melhor Filme e Melhor Diretor entre os filmes estrangeiros que concorriam, além do prêmio do júri popular) faz com que Martin e Mariana, a outra protagonista (Pilar López de Ayala, igualmente ótima), tenham vidas paralelas e, ainda que não se conheçam, cheias de referências semelhantes (desde as puramente nerds até as cinematográficas, como “Guerra nas Estrelas”, passando por “Onde Está Wally?” e canções de todo tipo).

Embora alguns possam encontrar em “Medianeras” somente uma crítica à dicotomia “globalização versus individualismo” que os tempos modernos de fato nos trazem (vide o subtítulo “Buenos Aires na era do amor digital“), na verdade, o filme é sobre a solidão, que pertence ao mundo desde os tempos das cavernas, que apenas mudou de formas e expressão. Mas também é um filme sobre amor e esperança, dos bons, sem cair nos clichês do gênero. Recomendo imensamente, não perca. E não deixe de assistir aos créditos.

Tommy Beresford

~ por Tommy Beresford em outubro, 20 2011.

3 Respostas to “[Resenhas] Medianeras”

  1. Como diria o tema de verão “delícia, delícia!” =)
    Perdoe a brincadeira amigo Tommy, mas que delícia de filme… Um roteiro ótimo, no ponto, uma visão fantástica de uma metrópole confusa que reflete de verdade nossas “confusões” atuais. Amei!

  2. Filme e trilha sonora marcantes, não tem como escutar as músicas citadas acima e não lembrar de Medianeras.
    Como observação, acho que a cidade de São Paulo também se encaixaria perfeitamente.

  3. Gostaria de ter por escrito os primeiros cinco minutos do filme Medianeiras, que fala dos paredões tristes de Buenos Aires. O filme é ótimo. Agradeço se puderam me enviar.
    Esther

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 127 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: