[Resenhas] Zohan – O Agente Bom de Corte

Tenho muita simpatia por Adam Sandler, um ator que na maioria das vezes tem acertado em suas escolhas, apesar de narizes torcidos de parte da crítica especializada que insiste em achar que filmes que fazem rir são arte menor. De fato, há filmes terríveis, sem nexo e inclusive sem graça, e muitos agradando a apenas uma pequena parcela de espectadores. Não tem sido o caso dos últimos filmes de Sandler.

No caso de Zohan – O Agente Bom de Corte, é difícil não achar graça de muitas situações. O roteiro (de Adam Sandler, Robert Smigel — de Saturday Night Live, e que faz uma ponta — e Judd Apatow) é bem interessante, e direta ou indiretamente goza de filmes de ação como James Bond e o recente “Hancock”, onde os mocinhos são super-heróis ou quase. Difícil não lembrar em alguns momentos do humor retratado no também recente “Borat”, em especial no que se refere à relação Israel-Palestina — melhor não levar muito a sério, já que o tom é de exagero em cima do extremismo. Mas “You Don’t Mess with the Zohan” (título original) quer mesmo é fazer rir, e consegue de forma tão eficiente que duas pessoas tiveram que sair da sala escura passando mal de tanto rir.

Mesmo contracenando em poucas cenas, o trunfo principal do filme é o trio formado pelos irreconhecíveis (no ótimo sentido) John Turturro e Rob Schneider e um Adam Sandler numa hilária e excelente interpretação: mais um grande acerto, portanto, deste ótimo ator. Destaque também para Lainie Kazan (de “Casamento Grego”).

Há participações especiais e divertidíssimas de Chris Rock, Mariah Carey e John McEnroe, entre outros, interpretando a si mesmos, sem medo de pagar mico. Mas as distribuidoras americanas mais uma vez mostram sua faceta falso-moralista ao evitarem, na divulgação e cartazes do filme, destacar os “atributos” do personagem principal: um ‘detalhe’, trocadilhescamente falando, que só após assistir ao filme dá para perceber.

Entre o pastelão e o irônico em meio a algumas piadas inteligentes, outras nem tanto, o filme Dennis Dugan evita o grotesco e o escatológico: é uma excelente pedida para quem quer “desopilar”. Com pitadas (literalmente enormes) de sexo e bons efeitos especiais, compre logo sua pipoca e divirta-se. E aproveite para cortar o cabelo.

Tommy Beresford

~ por Tommy Beresford em agosto, 19 2008.

3 Respostas to “[Resenhas] Zohan – O Agente Bom de Corte”

  1. esse cara é o mais legal do todos eu quero comprar o dvd dele ele
    arrasa

  2. Discordo desse post, achei o filme ridículo e olha que gosto muito dos filmes do Adan.

  3. não é o melhor sandler mas nem é o pior – a temática é espinhosa e ele deu seu ponto de vista [como judeu] muito bem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 128 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: