[Resenhas] Antes de Partir

Antes de Partir, cartaz

Quando Sylvester Stallone concorreu ao Oscar em 1977 por “Rocky – Um Lutador” (produção de 1976 que levou as estatuetas de Melhor Filme, Melhor Direção – John G. Avildsen – e Melhor Edição), certamente alguns críticos devem ter pensado que, em meio ao monte de músculos, havia um ator em ascensão. Mais de trinta anos depois, vemos que estes estavam completamente errados, visto que Stallone insiste em seus heróis bombados tanto tempo depois e consegue a cada dia se mostrar pior e totalmente decadente.

Mas por que estou falando de Mr. Stallone se o texto é sobre Antes de Partir ? Porque, ao contrário do (literalmente) velho “Rambo”, justamente Jack Nicholson e Morgan Freeman, os dois protagonistas deste excelente filme de 2007 dirigido por Rob Reiner, a cada ano ficam melhores.

Não sei o que diziam deles na década de 70, mas certamente ninguém tinha dúvidas do talento de ambos: foi justamente Nicholson quem levara seu primeiro Oscar um ano antes de Stallone perder o seu, por “Um Estranho no Ninho”, integrante de minha lista de 30 e poucos favoritos. Além da estatueta de melhor ator em 1976, Nicholson levou posteriormente outros dois, um como coadjuvante, por “Laços de Ternura”, em 1984, e outro como protagonista, por “Melhor É Impossível”, em 1998: levou 3 Oscars em 3 décadas diferentes (isso em meio a 12 indicações).

Freeman não fica atrás. Levou o seu Oscar como coadjuvante por “Menina de Ouro”, em 2005, mas levou também o Urso de Prata em Berlim e o Globo de Ouro em 1990 por “Conduzindo Miss Daisy”, foi o Actor of The Year em 1997 no London Critics Circle Film Awards por “Se7en”, além de prêmios e indicações por “Todo Poderoso” e “Um Sonho de Liberdade” (este também na minha lista sagrada), entre outros.

Sem qualquer esforço, Nicholson e Freeman dão show em “Antes de Partir”, filme que poderia se tornar piegas e lacrimogênico em excesso se tivesse sido dirigido com mão pesada: Rob Reiner torna leve e extremamente digerível a pouco mais de uma hora e meia de projeção, mas de forma profunda o suficiente para refletirmos sobre o que fazemos da sucessão de 24 horas que compõe nossa vida, cujo final nunca sabemos quando será (embora muitos até desejassem saber).

Rob Reiner é excelente diretor de atores. Já fez grandes filmes como “Conta Comigo” (quem não se lembra, no “longínquo” ano de 1986 ou em alguma “Sessão da Tarde” da vida, de River Phoenix, Corey Feldman, Kiefer Sutherland, John Cusack, Richard Dreyfuss… ?), “Harry & Sally” (outro dos meus favoritos) e “Louca Obsessão” (que deu o Oscar a Kathy Bates), entre outros. Sem querer surpreender nem criar nada muito novo (até porque seria difícil neste caso), em “Antes de Partir” Rob Reiner conseguiu, com habilidade, melhorar um roteiro interessante mas que até poderia ser questionado pelos exageros aqui e ali.

Num filme que, muito mais que sobre a incerteza da morte ou os prazeres da vida, fala essencialmente de amizade, é uma delícia ver Nicholson e Freeman brilhando em bons diálogos: ambos, juntos ou cada qual em seu momento particular, nos fazem chorar, mas rir também, e bastante, sem que o filme caia no escracho ou no dramalhão. O filme ainda tem boas participações de Sean Hayes (consagrado na TV por “Will & Grace” e agora tentando emplacar no cinema), Beverly Todd e Rob Morrow.

“Antes de Partir” é mais um caso em que o boca-a-boca vem funcionando a pleno vapor, pelo menos no Rio de Janeiro: quem viu, recomenda. O público da terceira idade, por sinal, é a grande maioria, e em pouco mais de três semanas de exibição o filme já passou dos 500 mil espectadores no Brasil, boa marca para um ano ainda sem grandes blockbusters.

Mesmo sem ser uma obra-prima, é um filme excelente, portanto, que recomendo para todas as idades. Me fez lembrar, uma vez mais, que a essência da vida pode estar contida nas linhas manuscritas com letras tortas em uma folha de papel, nas entrelinhas do que lá escrevemos e mal enxergamos quando nos deixamos simplesmente levar, e nos pedaços desta mesma folha que volta e meia rasgamos e, ao recolhermos apressados, tentamos novamente juntar e colar.

E o Stallone (atualmente em cartaz com “Rambo IV”) nisso tudo ? Mesmo tão aventureiros, duvido que seus heróis tenham feito tantas coisas – em quantidade e qualidade – em suas vidas quanto os personagens de Jack Nicholson e Morgan Freeman no filme. :)

(Curiosidade: quem se lembra da edição do ano passado do Oscar deve recordar que Jack Nicholson, sempre sorridente com seus óculos escuros na primeira fila, apareceu careca. Foi justamente por causa das filmagens de “Antes de Partir”…)

Em tempo: caso você tenha chegado aqui procurando alguma resenha crítica do filme para um trabalho escolar, lembre-se que o nome do autor e, em especial, o estilo de quem escreve fazem a grande diferença (e não enganam o professor, ainda que você mude uma parte ou outra do texto).

Tommy Beresford

Antes de Partir, cena

~ por Tommy Beresford em março, 14 2008.

9 Respostas to “[Resenhas] Antes de Partir”

  1. a presença de qualquer um dos dois [ou três, se considerarmos o diretor] já torna qualquer filme imperdível pra mim.

    vi o trailer e já dei risada só com o trailer! imagine com o filme inteiro.

    [e o comentário inteiro também.]

  2. foi muito bom o fime

  3. Este filme eu o recomendo para todos. Dele podemos adquirir novos conhecimentos de como viver a vida intensamente, independente de condições, status ou poder. Afinal antes de partir é um começo de uma nova história em nossas vidas e naqueles que estão ao nosso redor.Gente dedejo à todos Sucesso e curtam e valorizem a vida antes de Partir…. Fiquem com DEUS

    Lídia
    Valinhos/SP

  4. Este filme é excelente; pude assistir em contexto de aula no curso de H.S.T. elaborei um trabalho subordinado ao tema “Convicção e Firmeza Ética. Devo salientar que a humanidade devia passar por uma situação identica, talvez fossemos a tempo de salvar valores que se perderam. Amigos não deixemos para ultima estância gestos, palavras e um sorriso. Vivam bem a vida saboriando cada instante, como se do último se tratasse.

    Cassie
    Porto/Portugal

  5. Porque não fazer uma resenha contando todo o filme

    • Porque isso seria spoiler, Fabricia, e estragaria a surpresa de quem ainda não assistiu. A intenção aqui é apenas dar uma opinião sobre o filme, não revelar a história toda, pois muita gente ainda vai assistir em DVD. Grande abraço e obrigado pela visita !

  6. Filme bastante interassante, pois aborda o que ha de melhor num ser humano, a esperança e por consequencia a reflexão de seus atos.

  7. esse filme foi bem interessante fez com que eu visse a vida com mais responsabilidade tudo que eu fizer daqui pra frente se bem que o mundo poderia ser bem mais facil pra sabe que vai morrer em alguns minutos .Bom bem comovente esse filme!

  8. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha…me fez se interessar pelo livro….mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 129 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: